Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Obras de Salvador Dalí chegam ao Rio de Janeiro

Pinturas, desenhos e documentos pessoais do maior ícone do surrealismo ficam no CCBB até setembro; mostra segue para São Paulo em outubro

junho de 2014
Figuras tumbadas en la arena (1926) © Fundació Gala-Salvador Dalí, Fígueres
Figuras tombadas na areia (1926): o pintor catalão comparava sua arte ao delírio
A criatividade verdadeira se assemelha aos sonhos: surge da livre expressão das profundezas da mente, sem os filtros da lógica e do senso crítico. Assim pensavam os surrealistas – escritores, compositores e pintores que aderiram ao movimento artístico iniciado nos anos 20, fortemente alinhado com as teorias de Sigmund Freud (1856-1939) sobre o inconsciente. Como o criador da psicanálise, muitos surrealistas usavam imagens e sensações contidas nos sonhos como a principal matéria-prima de seu trabalho. O mais conhecido deles, o catalão Salvador Dalí (1904-1989), recebe uma aguardada retrospectiva no Rio de Janeiro.

São 150 peças, entre telas, gravuras, ilustrações e documentos pessoais. A maior parte do acervo vem da Fundação Gala-Salvador Dalí, em Fígueres, cidade natal do artista. A exposição não traz alguns trabalhos emblemáticos, como Persistência da memória (1931), a famosa imagem dos relógios se derretendo, porém reúne obras importantes para entender as diferentes fases de Dalí, como Figuras tombadas na areia (1926), que reflete influências recebidas do cubismo de Pablo Picasso (1881-1973).

A maior parte do acervo compreende produções surrealistas, como Composição surrealista com figuras invisíveis (1936), criadas com o método paranoico-crítico, inspirado nas formulações do psicanalista Jacques Lacan (1901-1981) sobre a psicose. Animado pela concepção lacaniana de que no delírio o inconsciente se exprime diretamente no consciente, Dalí propunha que suas telas fossem verdadeiros delírios, uma atividade interpretativa do inconsciente. Ilustrações feitas para os clássicos da literatura Dom Quixote de La Mancha e Alice no país das maravilhas completam a mostra, que irá para o Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, em outubro.

Salvador Dalí. Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro (CCBB-RJ). Rua Primeiro de Março, 66. Centro, Rio de Janeiro. Todos os dias, exceto terça, das 9h às 21h. Informações: (21) 3808-2020. Grátis. Até 22 de setembro.

Leia mais

Chegam a São Paulo as alucinações táteis de Yayoi Kusama

Obras da artista japonesa, baseadas nos delírios que a levaram a viver em uma instituição psiquiátrica, são reunidas no Instituto Tomie Ohtake

Arteterapia num campo de concentração

Exposição traz desenhos de crianças confinadas durante o Holocausto; como forma de amenizar o sofrimento, atividades eram promovidas pela artista plástica Friedl Dicker-Brandeis