Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Pais controladores prejudicam a assertividade dos filhos

Jovens com pais dominadores foram menos capazes de enfatizar seus pontos de vista de forma confiante e produtiva

novembro de 2014
Daisy Yuhas
Kuvshinova Nadezhda/Shutterstock
Pais dominadores por vezes tentam manter os filhos sob controle para evitar os perigos das pressões de grupo. Mas essa abordagem pode ter efeito contrário e tornar as crianças mais suscetíveis a seguir a multidão. É o que mostra um estudo do periódico Child Development.

Psicólogos entrevistaram 184 crianças com 13 anos, reuniram informações sobre as técnicas de controle dos pais – como usar a culpa para manipular o comportamento – e observaram como os participantes lidavam com diferenças de opinião em discussões com amigos.

Os pesquisadores voltaram a registrar informações sobre o comportamento dos participantes aos 18 anos e depois aos 21, levando em conta também as interações com colegas de trabalho e parceiros amorosos. Os jovens criados por pais altamente controladores tiveram maior dificuldade para defender e enfatizar seus pontos de vista com confiança perante as demais pessoas.

Os efeitos também se aprofundaram com o tempo: o déficit nas habilidades de relacionamento aumentava aos 21 anos. É possível que a resistência ao controle dos pais seja a forma como as crianças aprendem a afirmar suas opiniões, uma habilidade importante para o desenvolvimento de relacionamentos saudáveis.

Leia mais

Fez sucesso? Agradeça aos seus pais!
Pesquisadores do Reino Unido descobriram que resiliência, capacidade que faz com que as pessoas vençam frustrações e buscar superação é – em grande parte – hereditária

Biblioteca em casa deixa crianças mais inteligentes
Estudo mostra que a quantidade de livros que os pais oferecem aos filhos desde que são pequenos pode influenciar diretamente o desenvolvimento da capacidade cognitiva

Pequenos rebeldes
É comum que crianças pequenas façam birra; algumas, no entanto, são propensas a crises mais violentas. Em certos casos, o acompanhamento profissional pode ajudar a evitar a agressividade crônica