Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Para capturar a atenção

Confira exercícios de meditação mindfulnes, projetados para reforçar o foco e a consciência das sensações ao redor

julho de 2014
Scott Rogers
Dirima/Shutterstock
A meditação mindfulness, uma maneira de focar no presente sem julgamentos, tem benefícios comprovados para a saúde e felicidade. Praticá-la diariamente pode ajudar a assumir esse modo mental com mais frequência e facilidade ao longo do dia, sem grande esforço. Veja a seguir exercícios de 10 a 15 minutos projetados para reforçar o foco (restrição da atenção) e o monitoramento aberto (ampla consciência das sensações ao redor).

O que fazer:
- Sente-se em uma posição confortável, com a coluna ereta, de forma estável e descanse as mãos sobre as coxas ou, se preferir, una-as sobre o colo.
- Abaixe os olhos ou feche-­os, o que lhe parecer melhor.
- Respire pelo nariz de forma natural, sem forçar o movimento.  
- Atente a sua respiração seguindo o trajeto do ar em seu corpo. Apenas observe o ar entrar nos pulmões e sair.
- Caso surjam outros pensamentos não se atenha a eles, deixe-­os ir e volte a atenção à inspiração e à expiração.
- Perceba as sensações em torno de sua barriga à medida que o ar flui.
- Após 5 ou 10 minutos, mude para o monitoramento. Imagine sua mente como um vasto céu aberto e seus pensamentos, sentimentos e suas sensações como nuvens passageiras.
- Sinta todo o corpo mexer-se suavemente com sua respiração. Seja receptivo a suas sensações, dê-se conta do que acontece no momento. Esteja atento para o que percebe: sons, aromas, a carícia de uma brisa, pensamentos, mas não se prenda a nada.
- Depois de aproximadamente cinco minutos, abra os olhos suavemente. 

Sentiu-se bem? Então repita, pois só a prática frequente o fará familiarizar-se com essas sensações.

Saiba mais sobre os benefícios da meditação mindfulness e de outras técnicas na Mente e Cérebro n. 258, Atenção, concentração! Já nas bancas!

Leia mais

O cérebro de Buda
Um encontro entre monges budistas e cientistas ocidentais promovido pelo Dalai Lama para discutir o funcionamento mental e neurológico reforça a constatação de que o conhecimento pode ser transmitido, mas a sabedoria precisa ser vivida

É possível cultivar compaixão no cérebro
Exercícios de meditação podem modificar circuitos neurais subjacentes ao sentimento