Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Paul Ekman e Dalai Lama criam Atlas das emoções

Projeto encomendado pelo líder budista ao psicólogo americano propõe mapa para ajudar a entender sentimentos

setembro de 2016
CAPTURA DE TELA
O usuário escolhe qual emoção explorar e encontra um gráfico sobre seus espectros – no caso do medo, por exemplo, ansiedade, pânico, desespero, entre outros – e os estados mentais associados

Raiva, nojo, alegria, medo e tristeza. Essas são as cinco emoções básicas, presentes em todo ser humano independentemente da cultura, de acordo com o psicólogo Paul Ekman, que estudou expressões faciais de milhares de pessoas de diversos países durante os 40 anos em que foi professor da Universidade da Califórnia. De perspectiva evolucionista, Ekman define as emoções como reações psicofisiológicas não conscientes, desencadeadas por fatores ambientais que, ao longo da evolução ou da nossa história de vida, aprendemos a interpretar como uma ameaça ou não para nosso bem-estar. Por exemplo, medo é base de outros processos muito mais complexos e que envolvem todo o organismo, como o estresse e a ansiedade. 

Popularizada com a publicação do livro A linguagem das emoções (Leya), a teoria de Ekman inspirou recentemente a animação Divertida mente, da Pixar, sobre emoções que vivem no cérebro de uma garotinha, e chegou a chamar atenção do Dalai Lama, que se tornou amigo do psicólogo, a ponto de encomendar pessoalmente um projeto – o Atlas das emoções, uma espécie de mapa das emoções básicas, esclarecendo as situações que costumam desencadeá-las e os comportamentos motivados por elas. Um aspecto muito interessante do mapa é que Ekman distingue gatilhos universais e culturais das emoções e detalha como elas alteram o humor em cada situação.

O psicólogo contratou uma empresa de design para trabalhar a linguagem visual do mapa e deixá-lo didático e intuitivo. O usuário escolhe qual emoção explorar e encontra um gráfico sobre seus espectros – no caso do medo, por exemplo, ansiedade, pânico, desespero, entre outros – e os estados mentais associados. O item calm, dentro de cada domínio, sugere maneiras de racionalizar e lidar com essas emoções – a conscientização, na definição do Dalai Lama. Acesse em www.paulekman.com/atlas-of-emotions.

Esta matéria foi publicada originalmente na edição de setembro de Mente e Cérebro, disponível na Loja Segmento: http://bit.ly/2cjymOS 

Leia mais:

O cérebro de Buda
Um encontro entre monges budistas e cientistas ocidentais promovido pelo Dalai Lama para discutir o funcionamento mental e neurológico reforça a constatação de que o conhecimento pode ser transmitido, mas a sabedoria precisa ser vivida

Os mistérios da mentira
Série “Engana-me se puder” foi inspirada no trabalho do psicólogo americano Paul Ekman, especialista no mapeamento de expressões faciais