Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Placebos funcionam melhor para otimistas

Cérebro de pessimistas produz menos substâncias de combate à dor

abril de 2013
Viktoriya/Shutterstock
Pessoas que têm expectativas positivas em relação ao futuro tendem a responder melhor o tratamento medicamentoso da dor, segundo pesquisadores da Universidade de Maryland. Eles pediram que 50 voluntários saudáveis respondessem a um questionário de  personalidade que avaliava níveis de altruísmo, resiliência e otimismo. Em seguida, enquanto registravam imagens do cérebro dos participantes por meio da técnica de tomografia por emissão de pósitrons (PET), aplicaram em todos eles uma injeção dolorosa e em seguida entregaram um comprimido placebo – enganando-os, dizendo que era um analgésico. As neuroimagens mostraram que o cérebro dos voluntários que apresentavam, em maior grau, os traços de personalidade descritos produziu maiores quantidades de substâncias que naturalmente combatem a dor, como endorfinas. Como esperado, eles também relataram melhora mais rápida da dor. “Parece que há uma conjuntura emocional que favorece a liberação natural de substâncias que combatem a dor, o que aumenta a efetividade do efeito placebo”, diz o coordenador do estudo, Jonkar Zubieta.

Leia mais:

Otimistas se protegem menos contra doenças e acidentes

Pesquisa apresenta mapa mundial de otimismo