Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Preconceito: de vítima a vilã

Mulheres que consumiram álcool antes de agressão podem ser responsabilizadas por estupro, aponta pesquisa

março de 2008
© Djarvik | Dreamstime.com
Pesquisa publicada pela revista científica Addictiva Behaviors e divulgado pelo Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa) sugere uma mudança de percepção em relação a mulheres que sofreram abuso sexual nos casos em que apresentaram algum tipo de embriaguez ou pela forma com que resistiram ao agressor. De vítimas, elas passaram a co-responsáveis pelo ato. O estudo “Atribuição de culpa a mulheres que fizeram uso do álcool e foram vítimas de violência sexual” foi feito com 213 pessoas de ambos os sexos, entre 18 e 23 anos. Os pesquisadores avaliaram situações em que mulheres foram sexualmente agredidas. De acordo com os autores, Calvin M. Sims, Nora E. Noel e Stephen A. Maisto, o resultado sugere que mesmo reconhecendo os estupradores como agressores, a vítima é frequentemente responsabilizada nas situações em que se constatou a presença de álcool como se, ao beber, a mulher se tornasse “disponível”. No que se refere à resistência das vítimas, o estudo aponta que quanto maior a evidência de repulsão física maior a probabilidade de o estupro ser reconhecido como violência e a mulher, como vítima.