Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

QI de homens fumantes é mais baixo

Estudo derruba mito de que tabagismo é mais comum entre pessoas de menor poder aquisitivo e grau de instrução

junho de 2010
Luciana Christante
Os resultados de uma pesquisa feita na Universidade de Tel Aviv, em Israel, indicam que os prejuízos cognitivos podem ser mais uma das consequências desagradáveis do hábito de fumar. Em um artigo publicado na revista Addiction, os pesquisadores mostraram que o coeficiente de inteligência (QI) de homens não fumantes atingiu em média 101 pontos; já nos fumantes a pontuação ficou em torno de 90. A pesquisa foi feita com cerca de 20 mil jovens soldados do exército israelense, entre 18 e 21 anos, dos quais cerca de 30% fumavam. Os autores ressaltaram que esse grupo foi escolhido para que os pesquisadores pudessem trabalhar com uma amostra homogênea do ponto de vista socioeconômico, para derrubar o mito de que o tabagismo é mais comum entre pessoas de baixo poder aquisitivo e instrução, o que por sua vez também estaria relacionado a um QI menor.

Os dados mostraram ainda que, quanto maior o número de cigarros consumidos diariamente, menor o QI. Os pesquisadores não souberam explicar, entretanto, como o tabaco pode interferir na função cognitiva. Um dos próximos passos da pesquisa é investigar se a idade em que se começa a fumar pode influenciar os resultados.