Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Receptores magnéticos orientam migração de borboletas

Genes são responsáveis por impedir que os insetos se percam em viagens longas

março de 2010
© ISTOCKPHOTO
Neurocientistas da Universidade de Massachusetts descobriram os genes de dois receptores responsáveis por detectar o campo magnético da Terra. São eles que tornam possível a migração das borboletas-monarca, que viajam anualmente do Canadá ao México. A proeza foi realizada com a ajuda de moscas-das-frutas, um organismo mais fácil de ser manipulado em laboratório. Os pesquisadores retiraram o gene que codifica o fotorreceptor com o qual os insetos se orientam no espaço, o que obviamente afetou seu senso de direção. No lugar dele foram inseridos os dois genes suspeitos de orientar a navegação das borboletas. Assim, as moscas voltaram a voar sem se perder. Publicados na revista Nature, os resultados revelam, pela primeira vez, receptores sensíveis a campos magnéticos e podem elucidar o mistério da migração de muitas espécies de aves. É possível que mamíferos, inclusive os humanos, sejam dotados dos mesmos receptores, embora neles as funções ainda sejam desconhecidas.