Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Sem noção da obesidade

Peptídeo inibe ação de hormônio e engana o cérebro sobre estoques de gordura

abril de 2007
Como no quadro de Botero: poucos receptores de leptina
Pesquisadores da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon descobriram que uma substância chamada SOCS-3 pode explicar por que alguns afortunados, adeptos da alimentação rica em calorias, não engordam de jeito nenhum. O experimento foi feito em camundongos alimentados durante 20 semanas com uma dieta com alto teor de lipídeos. “Apenas 60% dos animais engordaram”, diz Michael Cowley, coordenador do estudo.

O passo seguinte foi investigar o que poderia estar protegendo-os da obesidade. Descobriu-se que os camundongos que se mantiveram em forma exibiam níveis normais de receptores para leptina no núcleo arqueado, região dentro do hipotálamo, e níveis muito baixos do peptídeo SOCS-3.

A leptina é um hormônio que sinaliza para o cérebro o aumento dos estoques de gordura corporal, inibindo a ingestão alimentar. Nos animais gorduchos, a situação foi inversa: poucos receptores para leptina e altas concentrações de SOCS-3. “Tudo leva a crer que esse peptídeo aumenta a resistência à leptina, sendo um elemento-chave para o desenvolvimento da obesidade”, diz Cowley. Segundo ele, o mecanismo ajuda a entender por que o cérebro “não percebe” o excesso de gordura e continua gerando sinais de fome no indivíduo. Publicados na Cell Metabolism, os resultados apontam o SOCS-3 como alvo promissor para o desenvolvimento de drogas antiobesidade.