Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Site aposta em fantasias e “pornografia feminista”

Cineasta sueca Erika Lust transforma relatos anônimos em curtas-metragens eróticos, que valorizam as personagens femininas

dezembro de 2016
CAPTURA DE TELA

O interesse da sueca Erika Lust pela indústria pornográfica surgiu quando estudava ciência política na Universidade de Lund. Percebeu que a esmagadora maioria dos filmes de conteúdo adulto – e essa realidade ainda permanece – reflete claramente estereótipos machistas: invariavelmente, mulheres são filmadas em posições humilhantes e submissas – como os comuns e muito acessados vídeos de sexo forçado – ou são retratadas como dominadoras. Estudiosa do feminismo, Erika decidiu, em suas palavras, “tratar o sexo como uma questão política” e passou a filmar roteiros que acreditava mais fiéis ao desejo feminino. Hoje vencedora de vários prêmios na indústria pornográfica, Erika é considerada referência no mercado erótico de filmes para mulheres. No site X-Confessions (xconfessions.com), ela dispõe alguns curtas-metragens e um espaço para que as visitantes compartilhem as próprias narrativas eróticas, que podem servir de inspiração para curtas-metragens produzidos pela cineasta e postados nas páginas. Os relatos que não são transformados em filmes são divulgados em forma de textos ilustrados, em inglês.

Esta matéria foi publicada originalmente na edição de novembro de Mente e Cérebro, disponível na Loja Segmento: http://bit.ly/2eJCaHt 


Leia mais:

Riscos reais da pornografia virtual
A busca por esse tipo de conteúdo costuma estar associada à violência contra as mulheres, insatisfação com a aparência e dúvidas sobre o valor do relacionamento afetivo estável – o que pode causar prejuízos para as relações da “vida real”

Site erótico para cegos
Locutor oferece detalhes de vídeo de sexo explícito, como descrição dos personagens, roupas, cenário e enredo