Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Sotaque estrangeiro pode causar desconfiança

Pesquisadores acreditam que explicação está na forma como o cérebro processa novas informações

maio de 2011
imagens: © shuterstock
Mesmo que você fale fluentemente um novo idioma, é provável que o faça com sotaque, o que é considerado normal. A novidade é que, segundo os linguistas Shiri Lev-Ari e Boaz Keysar, da Universidade de Chicago, isso pode prejudicar a imagem do falante. Os pesquisadores observaram que é mais difícil compreender o interlocutor se ele fala com sotaque estrangeiro – e a chance de o ouvinte considerar suas declarações como falsas é maior.


Para investigar a hipótese, os linguistas apresentaram, para 30 americanos que tinham o inglês como língua materna, 45 afirmações nesse idioma, gravadas por nativos e por pessoas com diferentes sotaques. Metade das frases era verdadeira (girafas são ruminantes) e a outra era inventada (formigas nunca dormem). Após cada enunciado os voluntários deviam avaliar se ele era falso ou verdadeiro. Resultado: independentemente do conteúdo, as afirmações ditas por estrangeiros foram julgadas mais vezes como falsas.


Os pesquisadores, porém, acreditam que essa conclusão não pode ser explicada apenas por possíveis preconceitos, já que os participantes foram alertados, antes do experimento, que os falantes eram apenas mediadores dos textos. A explicação para o fenômeno pode estar na forma como o cérebro lida com novas informações: ao ouvirmos sotaques, o processamento neuronal para compreender o que foi dito é mais complexo e, em vez de atribuir essa dificuldade à origem do locutor, nós a imputamos inconscientemente ao conteúdo. O problema é que atribuições equivocadas podem prejudicar atividades cotidianas, como procurar por emprego, avaliar a sinceridade de testemunhas oculares ou receber informações de repórteres estrangeiros.