Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Teste a esperteza de seu cachorro

Site criado por antropólogo americano ajuda a melhorar laços entre dono e bicho e contribui para formar banco de dados

setembro de 2013
Gláucia Leal
Ksenia Raykova/Shutterstock
Para ajudar as pessoas a compreender  melhor seu amigo canino, testar sua inteligência – e valorizá-la – o antropólogo americano Brian Hare criou uma página na internet, o www.dognition.com. Fundador do Centro de Cognição Canina Duke, Hare é autor de The genius of dogs, publicado este ano nos Estados Unidos, com lançamento no Brasil previsto para novembro pela Zahar. No livro, escrito em parceria com sua mulher, a jornalista Vanessa Woods, Hare afirma que as pessoas costumam ter ideias equivocadas a respeito do funcionamento mental dos cachorros. Por exemplo: não há cães “inteligentes” e cães “burros”. Por trás dessa forma de pensar está o entendimento – ultrapassado – de que a inteligência é algo unidimensional, ou seja, permanece a suposição equivocada de que há somente um tipo de capacidade mental.

Professor adjunto do Departamento de Antropologia Evolucionária e do Centro de Neurociência Cognitiva da Universidade Duke, Hare sugere que as pessoas comparem os bichinhos uns com os outros não para saber quem é “mais esperto”, e sim como cada um é inteligente, já que as estratégias usadas pelos cães para resolver problemas variam. Algumas perguntas são apresentadas: Seu animal de estimação conta com você para conseguir o que quer ou é do tipo mais independente? Ele percebe que está sendo observado enquanto tenta roubar comida da mesa, por exemplo, ou não atenta quando alguém o assiste (uma característica que dificulta obedecer ao dono)?

"Minha proposta foi desenvolver jogos divertidos que podem abrir uma janela para a mente dos cachorros e assim enriquecer o relacionamento entre dono e seu bicho”, diz Hare. “Além disso, os dados digitados contribuem com um grande projeto de ciência cidadã  que ajuda a proteger cães de abrigo e a promover assistência veterinária gratuita para os animais cujos donos não têm condições de pagar pelos serviços.” Com isso, as pessoas obtêm um extenso perfil cognitivo de seu pet e, ao assinar a página, ajudam a criar um banco de dados que cientistas podem usar para responder a questões relevantes, que antes não eram esclarecidas por falta de recursos, como a respeito de diferenças entre raças. O maior estudo publicado com cães testou aproximadamente 15 mil animais. O pesquisador acredita que o site tem potencial para ajudar a estudar centenas de milhares ou até mesmo milhões de cães, o que deverá favorecer muitas descobertas.

O texto acima é um trecho da matéria "Anjos da guarda". Para ler essa e outras reportagens na íntegra, adquira Mente e Cérebro Especial – Animais, já nas bancas e na Loja Duetto.

Leia mais:

Cão superinteligente diferencia 250 palavras

A ética do cachorro