Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Um bebê na barriga

Dois livros podem ajudar os adultos a lidar com a curiosidade infantil de maneira leve e saudável

maio de 2017
Gláucia Leal
DIVULGAÇÃO
“Como o bebê foi parar lá dentro?”, “Por onde ele entrou?”,“E como vai sair?”,“Eu também tenho bebês na minha barriga?” Esse tipo de questão costuma passar pela cabeça de uma criança quando descobre que a mãe – ou alguma outra mulher – está grávida. Em geral, junto com as perguntas vêm as hipóteses para tentar respondê-las. Embora os pequenos externem suas elaborações, o “mistério” da concepção e do nascimento costuma intrigá-los e, para os pais, às vezes não é simples responder às indagações das crianças com naturalidade. Dois livros podem ajudar os adultos a lidar com a curiosidade infantil de maneira leve e saudável.

Em Como ele foi parar aí dentro, do psicólogo brasileiro Ilan Brenman, com ilustrações de Vanessa Prezolo, Rafaela está intrigada com o fato de a vaca Geraldina estar prestes a ter um bezerrinho. Confusos com as perguntas da menina, os adultos passam a inventar histórias fantasiosas que não aplacam a curiosidade da garotinha. Intrigada, ela também quer saber de onde vêm filhotes de girafa, baleia... e o bebê que está na barriga de Olga, uma amiga dos pais. E é a mais simples, verdadeira e objetiva das explicações que satisfaz Rafaela.

Outro livro, Um bebê vem aí, escrito pelos ingleses John Burningham e Helen Oxenbury, traduzido pela carioca Marília Garcia, apresenta as cogitações de um garotinho a respeito do futuro do irmão caçula desde que a mãe lhe conta que está grávida. Enquanto ela cuida do primogênito, passeia com ele, o leva às compras, ao parque e às compras, a conversa se prolonga. A barriga cresce e há espaço para ciúme, irritação, desdém e até um desabafo: “Mamãe, você não pode pedir pro bebê ir embora? A gente não precisa do bebê, não é mesmo?” Mas como a chegada do novo membro da família parece inevitável, seguem as divagações – ele será padeiro, artista, capitão super-herói, ou jardineiro? Em momento nenhum da história aparece a figura paterna. Ao final, pouco antes de conhecer o irmãozinho, é com o avô que o garoto entra na maternidade e comenta: “Vovô, o bebê vai ser o nosso bebê. E a gente vai amar muito o bebê, não vai?”. 

Como ele foi parar aí dentro? Ilan Brenman. Aletria, 2015. págs. 32. R$ 37,90

Um bebê vem aí. John Burningham e Helen Oxenbury. Paz e Terra, 2011. págs. 48. R$ 37,90

Para mais sugestões como esta adquira a edição de maio de Mente e Cérebro:

Impressa: http://bit.ly/2q3yTJH 

Digital:   http://bit.ly/mcappandroid - Android

            http://bit.ly/mecapple - IOS

           http://bit.ly/mcappweb - versão web