Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Um estranho no ninho ganha versão brasileira para os palcos

Na peça, presidiário finge loucura para escapar do trabalho compulsório e é internado em uma clínica psiquiátrica

 

abril de 2015
FELIPE DINIZ

Adaptado do romance homônimo do escritor Ken Kesey, o filme Um estranho no ninho (1975) venceu várias categorias do Oscar, incluindo as de melhor longa-metragem e melhor ator para Jack Nicholson, ao levar às telas a história de um detento que finge loucura para escapar dos trabalhos braçais na prisão. Confinado em um manicômio, porém, descobre que as relações de poder podem ser mais arbitrárias e cruéis que em qualquer outro lugar pelo qual passara. O texto, já encenado no teatro em 15 países, recebe agora versão brasileira, em cartaz no Rio de Janeiro. Inspirada em experiências de Kesey, que trabalhou em um hospital psiquiátrico, a narrativa trata não apenas dos limites entre lucidez e insanidade, mas da oposição entre um sistema de controle e a busca por liberdade.

Um estranho no ninho. Centro Cultural Justiça Federal.
Avenida Rio Branco, 241, Centro, Rio de Janeiro.
Sextas, sábados e domingos, às 20h. Informações: (21) 3261-2550.
R$ 30. Até 3 de maio.


Esta peça foi originalmente divulgada na edição de abril de Mente e Cérebro 2015, que pode ser adquirida na Loja Segmento: http://bit.ly/1FHaxa8





Leia mais:

Loucura em cena
No cinema, os distúrbios psíquicos, antes estereotipados, passaram de expediente narrativo a fenômeno passível de compreensão.

Perigosas sobreposições da loucura
Identificar o outro como louco abre um campo de abuso de poder, intolerância e violência