Holismo
Dicas para viver com saúde plena através de terapias naturais

Tratamento naturopático para dor lombar
por Gilberto Coutinho

Síndrome dolorosa que afeta a região lombar, seja de origem vertebral, muscular, urogenital e ginecológica, a lombalgia constitui uma das maiores causas de queixas nos ambulatórios e consultórios de naturopatia, acupuntura, ortopedia, reumatologia, urologia, ginecologia, neurologia e fisioterapia.

Admite-se que toda pessoa, em algum momento de sua vida, poderá sofrer de dores nas costas. A sobrecarga de peso, a obesidade, o sedentarismo, o estresse, as más posturas, o trabalho em pé por várias horas do dia, o emocional, os acidentes, dentre outros fatores, são as causas psicorgânicas mais comuns de uma elevada freqüência.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, a lombalgia encontra-se relacionada à deficiência de energia dos rins, localizados na região lombar, em ambos os lados da coluna vertebral. É observada nas lesões dos tecidos moles da região lombar, nos reumatismos, nas afecções da coluna vertebral e dos órgãos internos.

Os rins armazenam a essência congênita (herdada dos progenitores durante a fecundação do óvulo pelo espermatozóide) e a energia essencial (jing tchi resulta do metabolismo dos alimentos); desempenham funções fisiológicas e energéticas muito importantes; são a base do yin e do yang dos 5 órgãos (zang) e das 6 vísceras (fu) e, por isso, esses órgãos são considerados a fonte da vida e a morada da essência. A orelha é considerada a janela dos rins. Através da observação clínica da orelha, é possível identificarem-se distúrbios orgânicos e conhecer-se a saúde dos rins e dos demais órgãos do corpo.

Mais de 90% das dores nas costas são causadas por problemas que acometem a coluna vertebral, e 10%, por doenças variadas.

As dores lombares apresentam diversas etiologias (causas): problemas posturais; obesidade; sedentarismo; traumáticas (pancadas, distensões e contusões); afecções (doenças) ósseas degenerativas: osteoporose, osteoartrose da coluna vertebral, bico-de-papagaio (osteófito, comum acima dos 40 anos de idade, muitas vezes sem manifestação de dor); hérnia de disco (causa mais freqüente de todas as lombalgias, mais comum em pessoas obesas, e sua incidência é maior entre os 20 e 50 anos); irritação do nervo ciático; artrose; escoliose lombar (desvio lateral da coluna vertebral); doenças inflamatórias e infecciosas: artrite reumatóide (forma de reumatismo que acomete todas as articulações, causando inclusive deformidade, geralmente afeta a região cervical), espondilite anquilosante (espécie de reumatismo da coluna, não muito freqüente, que ataca os jovens e que endurece a coluna; acomete mais o homem do que a mulher), tuberculose óssea (hoje, bem menos freqüente); viscerais; tumorais (os tumores benignos e os malignos - o mieloma é o mais temido, desenvolvido às custas da medula óssea - podem causar dores intensas nas costas que, na maioria das vezes, não cessam com analgésicos habituais); lesões metastáticas (a espinha é o local mais comum das metástases de outros tumores, que também determinam dores nas costas; geralmente tais lesões são secundárias a tumores malignos da próstata, seios, pulmões, estômago e glândula tireóide) e psicogênicas (os problemas psicológicos, não importa se antecedem ou não o distúrbio da coluna, devem também ser avaliados, principalmente aqueles ligados à sexualidade, à vida afetiva e à familiar).

Em geral, a dor de "cólica renal" pode ser facilmente confundida como dor na coluna. A diferença é que a cólica é aguda, provoca alterações na bexiga, irritação e dor no ato de urinar. No homem, a dor se irradia para os testículos e, na mulher, principalmente para a parte anterior do abdome.

Entre as causas da lombociatalgia (associação de dor lombar com uma nevralgia ciática), a mais freqüente é a hérnia de disco. É mais freqüente no sexo masculino e em profissões que exigem um trabalho físico mais intenso com sobrecarga da coluna lombar. A herniação causa dor, se compromete alguma raiz nervosa. Existem até casos que requerem cirurgia. A hérnia de disco lombar pode ocorrer de forma sintomática ou assintomática. Há casos, em que a hérnia de disco mesmo volumosa não causa dor.

A lombalgia causada pelo frio-umidade surge quando fatores como a umidade (infiltração pela permanência em ambientes úmidos por longo período), o frio e/ou o vento perversos, invadem o corpo causando disfunções energéticas e orgânicas. O vento, o frio e a umidade podem penetrar nos meridianos principais (jing, em número de 12 canais de energia por onde circula a bioenergia, o tchi; na sua grande maioria, encontram-se na profundidade do corpo, escondidos entre os músculos) e nos meridianos colaterais (luo, canais que se encontram na superfície do corpo) e ocasionar obstrução da circulação da bioenergia (tchi) e de sangue (xue) na região lombar, causando a lombalgia de ordem frio-umidade.

A trajetória dos 12 meridianos principais (jing) e dos colaterais (luo) é fixa e está bem documentada nos compêndios de Acupuntura. Os meridianos e os colaterais se cruzam formando uma rede complexa que integra todo o organismo.

As distensões e contusões lombares também prejudicam a circulação da bioenergia (tchi) e do sangue (xue), ocasionando uma estagnação da circulação do sangue (xue) que, por sua vez, afetam os meridianos e colaterais, provocando a dor lombar.

O excesso de atividade sexual também prejudica a energia vital (tchi) dos rins, que consome a essência, enfraquecendo esse órgão, o que causa a dor lombar.

Em alguns casos, é necessária a realização de exames especializados que auxiliem na identificação da causa da dor: ressonância magnética e densitometria óssea.

Nos tratamentos, a orientação vem do profissional de saúde, mas o cuidado com a coluna requer a atenção do próprio paciente.

Diferenciação

Lombalgia causada por frio-umidade: em geral, manifesta-se após a exposição ao vento, frio e umidade perversos

Sintomas e sinais: sensação de frio na região lombar; a dor ora agrava, ora alivia, pode irradiar-se para os músculos glúteos, membros inferiores e agravar-se com o tempo chuvoso e frio; sensação de peso e adormecimento da região dorso-lombar, que pode irradiar para os membros inferiores; limitação dos movimentos de extensão (alongamento) e de flexão da coluna lombar devido a uma contratura muscular. O pulso é profundo, e a língua apresenta saburra branca e pegajosa.

Lombalgia causada pela estagnação do sangue (xue): encontra-se relacionada a algum trauma ou a um movimento errado, ao se levantar peso

Sintomas e sinais: dor aguda e intensa de localização fixa (não migra e nem se irradia para outras regiões), agrava-se com o esforço físico, é acompanhada de hipertonia (aumento anormal do tônus muscular) e rigidez da musculatura paravertebral lombar, que impossibilita a realização de movimentos de flexão, alongamento e rotação/torção da coluna. Não existem alterações significativas no pulso e na língua.

Lombalgia causada pela deficiência (xu) dos rins: manifesta-se lentamente

Sintomas e sinais: dor leve (surda) e persistente (não alivia); pode ser acompanhada de lassidão, depressão, membros frios, espermatorréia (escorrimento involuntário de esperma, sem orgasmo) e fraqueza da região lombar.

Deficiência (xu) de yang dos rins: dor lombar acompanhada de cansaço, frio nos membros superiores e inferiores, espermatorréia e pulso filiforme. Deficiência (xu) de yin dos rins: dor acompanhada de angústia, urina amarela, pulso rápido e língua vermelha.

Lombalgia traumática: apresenta história de trauma da região lombar. Agrava-se com o cansaço e movimentos

Sintomas e sinais: dor localizada e região lombar rígida.

Terapêutica

Todo tratamento de saúde, notadamente aqui indicado, deve ser realizado por um profissional consciencioso, precedido por estudo clínico e atento exame físico, experiente e com formação em "Acupuntura Tradicional Chinesa". Somente se deve fazer uso de remédios e medicamentos sob a orientação e a prescrição terapêuticas. Deve-se combater a automedicação.

Massagem Tui Na

O tratamento com massagem visa a ativar a circulação da bioenergia (tchi) e do sangue (xue) na região das costas, a melhorar a nutrição dos tecidos e da coluna lombar, a relaxar a musculatura, a combater processos inflamatórios, a obstrução dos meridianos e colaterais e a dor. Nos casos de hérnia de disco: diminuir a pressão interna do disco intervertebral (a compressão radicular); favorecer a diminuição do edema e a reabsorção da hérnia; favorecer a recuperação do anel fibroso; combater aderências; e restaurar a função do nervo afetado.

Acupuntura Sistêmica e Auricular

O tratamento é muito efetivo. Visa a ativar a circulação da bioenergia (tchi) e do sangue (xue), a melhorar a nutrição dos tecidos e da coluna lombar, a restaurar o tônus natural da musculatura, a combater a dor, a obstrução dos meridianos e dos colaterais, a eliminar o frio e a umidade e a tonificar a energia dos rins.

Moxabustão (Jiu Fa)

Em caso de invasão de frio patogênico, aplicar moxaterapia à agulha (5 cones de tamanho grande)

Fitoterapia

Remédios botânicos: Uncaria tomentosa (Unha-de-gato), apresenta propriedades antiinflamatórias, antialérgicas, cicatrizantes em doenças gastroduodenais, antitumorais, antibacterianas e antivirais; é indicada no combate de processos inflamatórios músculo-articulares, como tendinite, osteoartrite, bursite, artrite reumatóide (reumatismo) etc.; Harpagophytum procumbens (Garra-do-diabo), apresenta ação analgésica e antiinflamatória, é utilizado no combate da artrite, da artrose, do reumatismo e da gota.

Colunas relacionadas:
Medicina ComplementarMedicina Tradicional ChinesaYogaNuno Cobra
para ler artigos anteriores
este artigo para um amigo
Gilberto Coutinho
é terapeuta naturopata com formação em Medicina Tradicional Indiana
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Gilberto Coutinho
para a página principal