Holismo
Dicas para viver com saúde plena através de terapias naturais

Tratamento naturopático para artrite
por Gilberto Coutinho

A osteoartrite (artrite) é uma doença inflamatória, crônica, das articulações; às vezes, torna-se complicada pela existência de lesões ósseas nas extremidades articulares.

Caracteriza-se por dores constantes, inchaços, diminuição do espaço articular em decorrência da perda da integridade do tecido cartilaginoso nas áreas de maior sobrecarga e atrito, desidratação e *crepitação articular, presença de osteófitos (bico-de-papagaio), perda progressiva da capacidade funcional das articulações acometidas, principalmente quando o paciente não recebe tratamento precoce, efetivo e adequado.

No Brasil, a artrite representa cerca de 30% a 40% das queixas nas consultas em ambulatórios especializados. É a quarta doença que mais conduz os portadores a uma aposentadoria precoce (cerca de 6,2% dos casos).

Quais os fatores de risco?

Idade (30% entre 65 a 74 anos), sexo, hereditariedade (genética), hábitos alimentares errôneos e nada saudáveis, deficiências nutricionais, obesidade, trauma e estresse repetitivo articular, sedentarismo, hipotrofia muscular, radicais livres (causam muitos danos aos tecidos), deficiência de estrógeno nas mulheres, alergia alimentar, etc.

Considerações nutricionais

Desde 1940, o uso terapêutico da glucosamina (encontrada em ostras e moluscos) no combate da osteoartrite tem sido cogitado e registrado na literatura. Extraída dos moluscos, a substância glucosamina é um dos principais componentes estruturais das cartilagens articulares. Seus benefícios terapêuticos foram confirmados na Europa em meados de 1970. Desde então, importantes pesquisas também foram realizadas em diversos outros países: Filipinas, Tailândia, Portugal etc.

Em 1980, Dovani e colaboradores desenvolveram em Milão (Itália) um dos mais importantes estudos clínicos que envolvia o uso terapêutico da glucosamina no combate da osteoartrite.

Estudos clínicos demonstraram que uma dieta rica em gorduras poliinsaturadas (consideradas saudáveis), pobre em gorduras saturadas e suplementada com Ômega-3 contribuiu para uma melhora significante no tratamento da doença, inclusive no da artrite reumatóide.

A dieta deve ser composta de óleos vegetais frescos que contenham ácidos graxos essenciais como (Ômega-6) e (Ômega-3), e também de óleos frescos de peixes de água gelada. A melhor fonte de ácidos graxos é o óleo de linhaça.

Os ácidos graxos essenciais diminuem o colesterol, os níveis de triglicérides, a agregação de plaquetas e auxiliam na prevenção da aterosclerose e das doenças do coração.

Os óleos de peixe, assim como os óleos vegetais, apresentam propriedades antiinflamatórias e antialérgicas significantes.

O álcool provoca a deficiência de ácidos graxos essenciais, particularmente o da série Ômega-6.

Os óleos ricos em Ômega-3 extraídos de vegetais (sementes de linhaça, canola, soja, noz inglesa, etc.) e das gorduras dos peixes de águas oceânicas geladas, como bacalhau, arenque, tubarão, atum, sardinha, salmão, cavalinha e outros, passaram a ser amplamente recomendados como suplemento nutricional a partir de 1975, após a publicação no "American Journal of Clinical Nutrition" dos trabalhos de dois médicos dinamarqueses.

Posteriormente, seus benefícios foram também reconhecidos por diversos experimentos realizados em vários países e publicados em muitos jornais científicos como o New England Journal of Medicine, dentre outros, confirmando-se suas propriedades terapêuticas.

O manganês (Mn) participa do metabolismo dos ácidos graxos, estimula o crescimento dos ossos, do tecido conjuntivo (mediante a formação de colágeno) e catalisa a formação dos mucopolissacarídios. Sua deficiência pode ocasionar, dentre outros males, alterações no desenvolvimento do tecido ósseo e diminuição de sua densidade, enfraquecimento das articulações, dos ligamentos e tendões.

Como os óleos de peixe não contêm vitamina E (poderoso antioxidante que combate os radicais livres), podem tornar-se rançosos e perniciosos à saúde, por se transformarem em fontes de radicais livres. Por isso é recomendável a suplementação adequada e concomitante da vitamina E.

Terapêutica

A naturopatia combate de modo diferente da alopatia a artrite, a osteoporose, os problemas osteoarticulares e osteotendinosos e diversas outras doenças. Complementar à medicina convencional alopática, a naturopatia trata a pessoa num todo (tratamento holístico), fundamenta-se na filosofia do poder de cura da mãe natureza e na capacidade do organismo de se autorenovar e se autocurar em condições terapêuticas adequadas.

Exercícios regulares (no mínimo, três vezes por semana) e moderados (livres de sobrecarga e impacto, tais como: caminhada, alongamento, yoga e hidroginástica) para estimularem e restabelecerem a circulação sangüínea, melhorarem a capacidade respiratória, a flexibilidade da coluna vertebral e o condicionamento cardiorrespiratório, a lubrificação, o fortalecimento das articulações, dos ossos, ligamentos e músculos, combaterem tensões e dores etc.

Somente deve-se fazer uso de remédios e medicamentos sob a orientação e a prescrição terapêuticas. Deve-se combater a automedicação.

Remédios botânicos: Uncaria tomentosa (Unha-de-gato), apresenta propriedades antiinflamatórias, é indicada no combate das enfermidades reumáticas: osteoartrite e artrite reumatóide (reumatismo); Harpagophytum procumbens (Garra-do-diabo), apresenta ação analgésica e antiinflamatória, é utilizado no combate da artrite, da artrose, do reumatismo e da gota; Hydrocotyle asiatica (Centella asiática), tônico do tecido conjuntivo, normaliza a circulação venosa de retorno e a produção de colágeno, favorece o processo de cicatrização, é antiinflamatório, vasodilator periférico, antiirritante e anticelulítico, combate a fragilidade capilar, é preventivo de rugas, e seu princípio ativo asiaticosídeo apresenta propriedades antibióticas; Aesculus hippocastanum (Castanha-da-Índia), aumenta a resistência e o tônus das veias, alivia a dor, ativa a circulação sangüínea, favorece o retorno venoso, apresenta propriedades anti-hemorrágicas, antiinflamatórias, diminui a permeabilidade e a fragilidade capilar; e Ginkgo biloba (Ginkgo), estimulante da circulação sangüínea, protege as células do ataque dos radicais livres.

Suplementação nutricional: Cartilagem de tubarão (combate processos inflamatórios, indicada no combate da osteoporose, da artrose e da artrite reumatóide, apresenta propriedades cicatrizantes, reparadoras das cartilagens articulares, anti-hemorrágicas e anticancerígenas); Sulfato de condroitina e de glucosamina; Ômega-3; Lecitina de soja; Picolinato de Cromo; Citrato de Cálcio; Cobre; Magnésio; Selênio orgânico; Zinco; Ácido fólico; Vitamina B6 (Piridoxina); Coenzima Q-10; Quercetina; Rutina; Vitamina K; Beta-caroteno; Vitamina B12 (Cobalamina); Vitamina B5 (Ácido pantotênico); Vitamina C; Vitamina D e Vitamina E.

*Crepitação: estalido que fazem as partes de um osso fraturado sob estímulo de certos movimentos. Fonte: Dicionário Houaiss

Colunas relacionadas:
Medicina ComplementarMedicina Tradicional ChinesaYogaNuno Cobra
para ler artigos anteriores
este artigo para um amigo
Gilberto Coutinho
é terapeuta naturopata com formação em Medicina Tradicional Indiana
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Gilberto Coutinho
para a página principal