Cyber Vida Sexual
Seção dedicada a responder e-mails relacionados à sexualidade

Obter prazer não tem nada a ver com atingir o orgasmo

por Marcelo Toniette

Não consigo sentir prazer na hora de transar
Será que o problema é comigo ou com meu marido?

Resposta: A tarefa de descobrir formas de obter prazer no ato sexual é sua e de seu marido. Sair à caça de quem é o culpado pelo o que está acontecendo não garante que o problema seja resolvido e somente aumenta o clima de tensão.

Não sentir prazer no ato sexual remete a uma outra questão. Você tem desejo sexual? Muitas mulheres que se queixam de falta de prazer no sexo apresentam inibição do desejo sexual. A inibição do desejo sexual não possibilita que exista a excitação e, consequentemente, o prazer, ou mesmo o orgasmo.

Cabe aqui uma ressalva entre prazer e orgasmo que provoca muitas dúvidas: uma relação prazerosa nem sempre levará ao orgasmo; já o orgasmo é decorrente de um intenso prazer.

O fato de não se ter orgasmo em algumas relações sexuais, não quer dizer que as relações não tenham sido prazerosas. Com o forte apelo ao orgasmo a todo custo, muitas mulheres esquecem que o orgasmo é conseqüência da percepção das sensações prazerosas do ato sexual. O resultado deste quadro é que o desejo de ser ter orgasmo fica tão intenso, que desvia a atenção das sensações prazerosas do ato sexual. A frustração é inevitável.

Vários fatores podem estar envolvidos com a ausência de desejo ou falta de prazer no sexo. O importante nessa hora não é você se “identificar” com o problema por exemplo: “Sou uma mulher que não tem prazer”. Mas sim perceber e compreender a situação como possibilidade de aprendizado: “Sou uma mulher disponível para descobrir e experimentar coisas”.

Isso mesmo, sexo se aprende.

Saia do “não consigo” e autorize-se a ter contato, por mais embaraçoso que isso possa parecer. Não se intimide com a aparente dificuldade que se apresenta. Esse embaraço acontece quando não sabemos lidar com alguma coisa, ou mesmo se essa coisa é uma novidade. Desse modo, tentamos nos distanciar de algum modo daquilo. O preço que se paga por isso é que nos privamos de possibilidades de vivência. Agora, se autorizarmo-nos a ter contato com a dificuldade, aumentamos as chances de aprendermos a lidar com aquilo, dissolvendo aos poucos a idéia de dificuldade ou de embaraço.

O fato de você enviar esta pergunta já mostra que você tem iniciativa. Então vamos lá: no âmbito do prazer...

- O que nesse aspecto você gostaria de fazer com seu marido que até hoje não fez?

- Como é o seu contato com o corpo?

- Você consegue ter prazer tocando nele?

- Você reserva um tempo no seu dia-a-dia para se curtir, ou curtir seu parceiro?


São inúmeras as questões que eu poderia levantar Porém, o mais importante é você mobilizar-se, sair da paralisia que muitas vezes se instala mediante um obstáculo.

É importante que você tenha desejo e esteja disponível para a relação sexual.

Como disse anteriormente, muitas mulheres acham que o ter prazer não é tão importante, mas sim, o tal do orgasmo.

O orgasmo, para muitas, virou um troféu, uma meta a ser alcançada.

Não que ele não seja bom.

O problema é que muitas mulheres focam somente no orgasmo e esquecem de várias coisas boas e prazerosas que fazem com seus parceiros. Resultado: não sentem prazer e ainda se cobram por não conseguir ter orgasmo.

Desse modo, sem prazer, sem orgasmo.

Um passo importante para se ter prazer na relação sexual é você conhecer o próprio corpo.

Lembre-se que é você que percebe e sente a relação sexual. Torna-se um obstáculo caso você não conheça o potencial de prazer do seu corpo.

A masturbação é um recurso importante nesse processo de autodescoberta.

Que tal começar daí para perceber as sensações de prazer? Ao longo do tempo você pode ir experimentando sensações junto com seu marido. Fica a sugestão. Boa Sorte!

Orgasmo com penetração "aprende-se" com o tempo - clique aqui e leia

Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento


Colunas relacionadas:
SexoCyber Vida a DoisLuiz Alberto PyAmor
para ler as respostas
este artigo para um amigo
Marcelo Toniette
é psicólogo e psicoterapeuta sexual
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Marcelo Toniette
para a página principal