Eu
Autoconhecimento para o bem-estar

Felicidade tem preço?

por Patricia Gebrim

"A vida é curta, é um sopro, um sonho, um brilho fugaz na eternidade do Universo, e passa tão rápido. Um dia tudo o que você terá, serão as escolhas que fez na sua vida. Faça com que esse dia seja feliz, e que ao olhar para trás um sorriso venha à sua face.

Vamos, seja corajoso!

Só os corajosos tocam a felicidade"

Tem sim!

Todo mundo quer ser feliz, quer se sentir leve, alegre, quer ter aquela vontade de cantar alto quando ouve uma música que gosta, quer se sentir confiante ao acordar, quer fazer amizade com a vida e sorrir para o espelho antes de se deitar. Todo mundo quer essa sensação gostosa de liberdade que temos quando somos simplesmente quem somos, que delícia é isso!

Mas poucas pessoas têm a coragem para pagar o preço da felicidade, porque felicidade custa sim. E não é pouco.

Se você quer ser feliz terá que aprender muitas coisas.Terá que aprender a ficar surdo para o que vem de fora e aprender a ouvir o que vem de dentro.

Dentro de você existe toda a sabedoria necessária para uma vida muito feliz, acredite. Existe direcionamento e paz. Mas nem sempre é confortável ouvir essa voz, a voz do seu verdadeiro Eu. Muitas vezes ela lhe pede que faça movimentos realmente assustadores, pede que mude coisas às quais você está está acostumado ou adaptado, pede que enfrente pessoas e instituições, pede entrega total e absoluta, não é fácil.

Muitas vezes, ouvir essa voz pode significar ter que mudar de casa, de trabalho, enfrentar pessoas queridas, ou não ser o que as pessoas ao seu redor esperam que você seja.

Para atingir felicidade é preciso autoconfiança, coragem e ação

Quer um exemplo? E se lá dentro de você uma voz lhe disser que sua felicidade está em fotografar cangurús na Austrália??? Você teria que fazer enormes movimentos para se tornar um fotógrafo de cangurus, não teria? Por isso, por medo de sair da zona de conforto, é que nos recusamos a ouvir nossa própria voz e continuamos lá, dia-a-dia, cultivando nossa infeliz vida medíocre, com medo de abrir as asas e voar em direção à nossa verdade.

Mas a verdade é que só podemos experienciar essa sensação que chamamos de felicidade quando estamos plenamente presentes em nossa vida, sendo quem de verdade somos, inteiros, aceitando a nós mesmos, sendo corajosos o suficiente para enfrentar o mundo se necessário, tudo para seguir nosso próprio caminho.

O mundo ao seu redor não se preocupa com a sua felicidade, acredite. O mundo ao seu redor é como uma máquina interminável de cobranças e solicitações:

_ Faça isso! Seja isso! Diga aquilo! Vá para lá! Fique onde está! Não se mova.! Não se mova! Não se mova!!!!! NÃO SE MOVA!

O mundo ao seu redor grita o tempo todo em seus ouvidos, e de certa forma lhe diz que se você sair dos caminhos por ele planejados, será abandonado, deixado para trás, e não mais será digno do seu amor. E o mundo ao seu redor lhe diz que você fracassará se não seguir seus conselhos.

O mundo não nos quer livres. O mundo ao nosso redor precisa que fiquemos exatamente onde estamos para que as coisas continuem sendo como são e para que ele também não precise se mover.

Porque se você se move, o mundo terá que se mover também! O mundo ao seu redor tem medo de você, tem medo da sua liberdade, essa é a verdade.

Pena que ninguém saiba que se cada pessoa se tornasse mais livre, o mundo se libertaria também.

É triste. O que eu vejo é um monte de gente infeliz, querendo que tudo continue exatamente como está. O medo é quem está no comando de tudo. Qualquer movimento é visto como ameaçador e assim nos tornamos todos companheiros em um calabouço frio e úmido. Mal ousamos sonhar com o sol.

Assim, se você quer o brilho dourado do sol aquecendo sua pele, terá de enfrentar o mundo. Lembre-se, o mundo ao seu redor está cego e doente, precisando de cura. Não fará bem a ninguém, nem a você, nem ao mundo, sucumbir a essa doença que diz a todos que precisam ficar exatamente onde estão. Não fará bem a ninguém uma vida controlada pelo medo.

Todas as pessoas felizes que conheço (confesso, não são muitas) passaram por um momento transgressor, transgrediram certas "leis" da sociedade em favor de uma verdade interna, romperam os elos do medo. Todas as pessoas felizes que eu conheço foram corajosas o suficiente para abrir mão das fórmulas prontas que lhes foram transmitidas pelo mundo, foram em busca da sua própria verdade e aprenderam a honrar a si mesmas. Tiveram a coragem de EXISTIR.

Se você quer ser feliz, rasgue esse livro cheio de regras que lhe diz como ser feliz. Esse livro maldito tem nos aprisionado por tempo demais. Ele diz mais ou menos assim:

_ Estude, tenha um bom emprego case-se, tenha uma casa, tenha filhos, tenha um carro, uma boa conta bancária e pronto, serás eternamente feliz!

Mentiraaaaa! Não é assim, gente! Acordem!

A escolha é de vocês, de cada um de vocês. Suas vidas estão em suas mãos.

Eu só lhes digo uma coisa. Ouçam bem porque é muito importante o que vou dizer.

A vida é curta, é um sopro, um sonho, um brilho fugaz na eternidade do Universo, e passa tão rápido. Um dia tudo o que você terá, serão as escolhas que fez na sua vida. Faça com que esse dia seja feliz, e que ao olhar para trás um sorriso venha à sua face.

Vamos, seja corajoso!

Só os corajosos tocam a felicidade.

Artigos relacionados - clique no título

>>> Quanto custa ser feliz?

>>> Pare de sabotar sua vida, sua felicidade e seu sucesso

>>> Saiba por que seus medos são imaginários

>>>
Como dirigir um carro... assuma agora a direção de sua vida


Colunas relacionadas:
Luiz Alberto PyRoberto Shinyashiki Atitudes Ser Integral
para ler artigos anteriores
 
Patricia Gebrim
é psicóloga e escritora
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Patricia Gebrim
para a página principal