Fale com o Terapeuta
Terapeuta responde perguntas sobre relacionamentos, autoestima e conflitos emocionais
Mudar de humor várias vezes num dia caracteriza transtorno bipolar?
por Eduardo Ferreira Santos


Minha esposa passa por repentinas mudanças de humor num mesmo dia, ao menos umas seis vezes ela muda. Isso pode ser transtorno bipolar?

Transtorno bipolar - "Cada episódio tem uma duração variada, mas habitualmente segue o padrão de semanas em um estado, alternado para semanas ou mesmo meses em outro" Resposta: Deve-se ter em conta que meros "altos e baixos" são experimentados por praticamente qualquer pessoa e não constituem um distúrbio.

As mudanças de humor do distúrbio bipolar são mais extremas e mais duradouras que aquelas experimentadas pelas demais pessoas.  O transtorno passa a ser classificado como ciclotimia, quando tanto a depressão quanto a mania se alternam em um mesmo dia. Isso precisa de atenção psiquiátrica.

Transtorno bipolar de humor

O transtorno bipolar do humor é uma doença caracterizada por episódios repetidos, ou alternados, de mania (euforia)  e depressão. Uma pessoa com transtorno bipolar está sujeita a episódios de extrema alegria, euforia e humor excessivamente elevado (mania), e também a episódios de humor muito baixo e desespero (depressão). Entre os episódios, é comum que passe por períodos de normalidade. Cada episódio tem uma duração variada, mas habitualmente segue o padrão de semanas em um estado, alternado para semanas ou mesmo meses em outro.

Há que se considerar também diversos fatores orgânicos não psiquiátricos, particularmente hormonais (menopausa, tireodite) que podem se manifestar com quadros parecidos à ciclotimia.

Deve-se levar em conta ainda que fatores psicossociais de estresse (momentos particulares e problemáticos da vida), podem causar um "desequilíbrio" temporário na estrutura psíquica, o que sugere a busca por ajuda psicológica ou psiquiátrica com visão psicoterapêutica.

Enfim, resumindo, a pesquisa em uma situação dessas começa por um exame clínico e laboratorial médico completo até chegar no diagnóstico psiquiátrico, se não houver nenhum distúrbio biológico que o esteja causando.

Artigos relacionados - clique no título

>>> Psicóloga fala sobre o colecionsimo patológico

>>> Ninguém me suporta. O que devo fazer?

>>> Como reagir a falta de estímulo por tudo?

>>> Medo do futuro impede minha felicidade. O que faço?

 


 

Colunas relacionadas:
Amor & sexo Comportamento Ser Integral Eu
para ler respostas anteriores
 
Eduardo Ferreira Santos
Psiquiatra, psicoterapeuta, mestre em psicologia clínica e doutor em medicina
>> Mais informações >>
Clique aqui
e compre o livro
"De Vítima a Sobrevivente - Um guia para identificar e enfrentar o Transtorno de Estresse Pós-Traumático"
Clique aqui para falar com Eduardo Ferreira Santos
para a página principal