Neurociência & Aprendizagem
Neurociência pedagógica: abordagem neurobiológica e multidisciplinar sobre a complexidade cerebral na sala de aula
Nome da disciplina matemática deveria ser mudada para boatemática
por Marta Relvas

"O cérebro humano aprende por associação do lúdico, e do concreto para abstração"

A questão do aprendizado da Matemática está sempre relacionado a uma dificuldade. Na verdade deveríamos mudar o nome da "(Ma) temática para (Boa) temática", assim a assimilação dessa ciência poderia ou deveria se tornar mais prazerosa quando alterada a nomenclatura.

Sem dúvida esse "bicho papão" da Matemática foi e é contruído culturalmente, com a criança logo cedo escutando de seus pais que estudar Matemática é difícil, e a escola também enfatiza e reforça usando muitas vezes como uma ameaça ao estudante.

A estrutura cerebral da aprendizagem da ciência Matemática se dá na mesma área da aprendizagem da linguagem escrita e falada, ou seja, hemisfério esquerdo do cérebro - área de Wernicke e Broca junto com o córtex pré-frontal e os hipocampos que estão relacionados com a memória.

O ideal da aprendizagem Matemática é pela contextualização, pelo concreto, o fazer, para depois, então, partir para a abstração, no qual a idade neurobiológica ideal ocorre por volta dos 9 anos. Nessa fase o cérebro possui neurônios mais fortalecidos e consolidados em suas conexões neurais.

Dicas metodológicas e pedagógicas:

Elaborar atividades educacionais como blocos lógicos, cubos mágicos, jogos analógicos como xadrez, dama, exercícios físicos relacionados ao espaço/temporal etc.

O interessante é trabalhar com materiais concretos - montessoriano, conhecidos como material dourado que tem como proposta uma metodologia a partir do concreto, do fazer para abstração e criação mental. O professor pode criar essa atividade lúdica, sem ônus, com sucatas.

Sem dúvida, o cérebro humano aprende por associação do lúdico, e do concreto para abstração. Importante se pensar que o corpo é uma ferramenta da aprendizagem cognitiva, motora, emocional e social. Por esse motivo, explorar esse universo físico se torna fundamental para a aquisição da aprendizagem.

Artigos relacionados - clique no título



>>> Aumento de capacidade aeróbica melhora cognição em adolescentes, indicam estudos

>>> Inteligência muda e gera comportamentos inteligentes

>>> O lado obscuro da inclusão escolar

>>> Atividade física precoce pode melhorar funções cerebrais ao longo da vida


 
Colunas relacionadas:
Luiz Alberto Py Cérebro & Corpo Mente na Terceira Idade Eu
 
e leia textos anteriores
 
Marta Relvas
é professora, neurobióloga, neuroanatomista psicanalista e psicopedagoga
>> Mais informações >>

Clique aqui
para falar com Marta Relvas
para a página principal