Neurociência & Aprendizagem
Neurociência pedagógica: abordagem neurobiológica e multidisciplinar sobre a complexidade cerebral na sala de aula
Devemos nos aprimorar na prática da arte de esquecer
por Marta Relvas

"... a característica mais saliente da memória é o esquecimento."

A memória é a função cerebral que mais se encaixa com o dito de que "a função faz o órgão". Se praticada intensamente, é mantida, do contrário dissolve-se no esquecimento.

Como é processada nossa memória neurobiológica?

As informações perpassam pelos nossos sentidos, chegam aos neurônios, estes traduzem a realidade através de sinais elétricos e bioquímicos, traduzindo-se em um arquivo quando repetidos

A evocação da memória está relacionada na reversão dos sinais bioquímicos ou estruturais em elétricos e assim, novamente os sentidos e a consciência passam a interpretá-los como pertencendo a um mundo real.

Se por um lado a história de cada indivíduo se limita à sua memória, um dos maiores estudiosos da memória, o norte-americano James Mc Gaugh, citado por Izquierdo, (2011, p.22) disse que "a característica mais saliente da memória é o esquecimento."

A importância do esquecimento relaciona-se à manutenção da sanidade cerebral. Precisamos esquecer, "jogar no lixo" informações inúteis, não mais necessárias ou irrelevantes, para abrirmos espaços para novas memórias e ou combinações - interconexões das mesmas. Esse é o motivo pelo qual, imensa maioria de tudo aquilo que se aprende, de todas as inúmeras memórias que se formam na vida, se extingue ou se perde.

Só se memoriza aquilo que nos faz sentido e que nos promove significado, quando compreendemos.

Esquecer do inútil e nocivo, e lembrar do útil e prazeroso, certamente consiste em uma boa fórmula para a manutenção de um cérebro saudável.

Para Izquierdo (2011, p.40) A melhor forma de manter viva a memória, em geral, é por meio da leitura.

A melhor forma de manter viva cada memória em particular é recordando-a. Mas nem sempre isso é possível, e certamente não desejável.

Dica de hoje:

Devemos nos aprimorar na prática da arte de esquecer.

Artigos relacionados - clique no título



>>> Aumento de capacidade aeróbica melhora cognição em adolescentes, indicam estudos

>>> Inteligência muda e gera comportamentos inteligentes

>>> O lado obscuro da inclusão escolar

>>> Atividade física precoce pode melhorar funções cerebrais ao longo da vida


 
Colunas relacionadas:
Luiz Alberto Py Cérebro & Corpo Mente na Terceira Idade Eu
 
e leia textos anteriores
 
Marta Relvas
é professora, neurobióloga, neuroanatomista psicanalista e psicopedagoga
>> Mais informações >>

Clique aqui
para falar com Marta Relvas
para a página principal