Sexo
Dicas para melhorar sua vida sexual
Elas e o sexo: Gemidos, gritos e urros na hora da transa são realmente autênticos?
por Arlete Gavranic

Sinais fisiológicos presentes na hora do orgasmo feminino - clique aqui

"A mulher que todo dia repete caras e bocas, gemidos, gritos ou uivos, sempre no mesmo padrão. É bom observar se os sinais de excitabilidade estão presentes, pois se você perceber esse clima teatral, é hora de se perguntar se você está colaborando para que a outra pessoa possa ser autêntica e até assumir uma dificuldade para atingir o orgasmo"

Muitos falam de sexo, orgasmo, novas posições, o que atrai e excita... Mas pouco se fala do comportamento frente ao prazer, principalmente do comportamento de gritar e gemer.

É muito grande o número de mulheres, para espanto dos homens, que finge o orgasmo. Já que cerca de 1/3 delas não consegue atingi-lo. Este índice já está tão incorporado por nós especialistas no assunto, que não há uma fonte específica para citar. Para muitas isso é tão natural, que elas dizem nunca terem dado chance para o parceiro desconfiar.

“É só gemer baixinho e depois aumentar a intensidade, morder o lábio, dar uns gritinhos e depois me deixar cair dengosa que ele acredita”,

diz M.L (32), representante comercial, que está de namorado novo há 3 meses. Ela veio em busca de terapia sexual, pois está cansada de dar ao outro o prazer, mas de nunca conseguir vivê-lo.

Mas de onde vem essa idéia de gemer e fingir orgasmo?

Em meados dos anos 1960, a liberação sexual possibilitou a mulher falar de sexo e prazer. Muitos dos filmes, desde a pornochanchada, até os mais explícitos, passaram a exibir uma mulher que desejava sexo e demonstrava seu prazer gemendo ou até urrando.

Esses filmes foram uma ‘escola de sexo’ para a maioria dos jovens a partir dos anos 60/70, sobre como se comportar e, principalmente, sobre o comportamento da mulher em sentir prazer. Para a mulher essa “escola” representou também uma forma de sinalizar ao homem como ele é 'poderoso' na sedução.

Aliás, esse comportamento um tanto teatral de gemer e gritar é muito freqüente em garotas de programa, que querem deixar os clientes excitados, sentirem seu poder em dar prazer e fazê-los gozar para findar o programa, pois ali, tempo é dinheiro.

Durante o orgasmo, que dura poucos segundos, alguns gemidos são normais, pelas alterações respiratória e cardíaca da mulher, que podem chegar a níveis muito altos.

Segundo a Dra. Franciele Minoto, ginecologista e terapeuta sexual, "A gritaria pode até ser sincera, mas não é uma reação fisiológica. A mulher não tem discernimento para medir palavras nessa hora", diz.

Alguns sinais podem dizer ao homem se a mulher atingiu o orgasmo

• Os batimentos cardíacos podem chegar a 160 por minuto;

• O rosto, o pescoço e o peito da mulher ficam vermelhos, isso é conseqüência de uma vasodilatação do sistema nervoso central;

• A musculatura do períneo, região entre o ânus e a vagina, tende a sofrer diversas contrações;

• Logo após o orgasmo há uma sensação de relaxamento corporal intenso.

O orgasmo feminino tende a ser mais demorado para se alcançar do que o masculino, devido a uma questão multifatorial relacionada a hormônios, aprendizagem corporal e biologia feminina. Por isso a mulher precisa de estímulos diferentes. Daí vem a importância das preliminares, que promovem um estado de excitação.

Caminho para o orgasmo

O caminho para o orgasmo feminino vem através de carícias, beijo, olho no olho, cheiro, sentir -se desejado e desejante. Esse caminho não pode
ser rápido demais, pois ele é um prazer tão ou mais importante que o orgasmo rapidinho. Alguns parceiros, machistas ou muito inexperientes, muitas vezes são omissos ou pouco investem nas preliminares: lembrem-se, muitos beijos - não é selinho - carinhos, mordiscadas e sem roteiro pré-definido - beijo na boca, nuca, pescoço, desce para mamas, carícias no corpo, sexo oral, para daí chegar à penetração.

Orgasmo começa na mente

O orgasmo começa na mente. Por isso é preciso pensar em sexo, pensar com desejo naquela pessoa. Se ela estiver pensando em outros problemas como trabalho, dinheiro, rendimento escolar dos filhos... tudo isso desvia a atenção e essa mulher fica sem a possibilidade de começar ativar sua libido através de pensamentos e carícias.

Cerca de 30% das mulheres não atinge o orgasmo

Estima-se que perto de 30% das mulheres tenham disfunção orgástica, ou seja, não conseguem atingir o orgasmo. Mas isso não significa que as mulheres finjam orgasmo para enganar os homens. A maioria delas faz isso para agradá-los. Mas se tem alguém que está se enganando é ela mesma.

Eles também fazem cobranças em relação ao orgasmo. Elas preferem fingir para acabar logo com aquela relação que não dá prazer, pois não têm estimulo para sentir-se desejada de fato. Mas cuidado para não achar que sua parceira não possa expressar seu prazer de forma mais intensa. Pode sim, muitas mulheres podem gritar, urrar, e gemer de prazer. Às vezes mais, outras vezes mais timidamente, mas talvez seja a forma que ela achou de expressar sua sexualidade, e é muito positivo quando acontece naturalmente.

Mas não dá para deixar de alertar sobre a mulher que todo dia repete caras e bocas, gemidos, gritos ou uivos, sempre no mesmo padrão. É bom observar se os sinais de excitabilidade estão presentes, pois se você perceber esse clima teatral, é hora de se perguntar se você está colaborando para que a outra pessoa possa ser autêntica e muitas vezes até assumir uma dificuldade para atingir o orgasmo e buscar ajuda para chegar lá.

Artigos relacionados - clique no título

Estresse, nervosismo e menopausa dificultam obtenção de orgasmo?

Existe relação entre idade e diminuição do desejo sexual?

Fingi orgasmo, meu namorado notou e ficou bravo

Ansiedade na hora do sexo pode manifestar-se de forma psicossomática

Colunas relacionadas:
Cyber Vida SexualVida a doisAmorLuiz Alberto Py
para ler artigos anteriores
este artigo para um amigo
Arlete Gavranic
é Psicóloga, Mestre em Educação; Educadora e Terapeuta sexual
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Arlete Gavranic
para a página principal