Cyber Vida Sexual
Seção dedicada a responder e-mails relacionados à sexualidade
Quais posições sexuais favorecem o orgasmo feminino?

por Sandra Vasques

Gostaria de saber como faço para ter orgasmo quando meu namorado fica por cima, pois só consigo quando fico por cima. Quais são as técnicas, o que faço?

Resposta: Para que uma mulher sinta o orgasmo, ela tem que se permitir vivê-lo. A seguir, tem que conhecer cada vez melhor seu corpo, investigando que tipo e intensidade de toques, mais a agradam. Existe um lugar especial no genital feminino, que fica na junção dos pequenos lábios e que externamente tem o formato de um pequeno botão, o clitóris. Esse pequeno botão é na realidade uma pequena glande, semelhante à do pênis, e tem muitas terminações nervosas. Sua função é proporcionar prazer sexual à mulher quando estimulado. O estímulo pode ser por fricção ou pressão e cada mulher deve tocá-lo e descobrir o jeito mais gostoso de obter prazer. Isso é muito importante, porque só conhecendo a si mesma, a mulher poderá ensinar o homem a também lhe proporcionar prazer unindo outros estímulos com o toque do clitóris.

E por que é importante saber disso se a pergunta se refere a posições sexuais?

Justamente porque o casal deve descobrir que posições permitem um estímulo prazeroso para os dois. A posição deve ser estimulante visualmente, deve deixar à vontade os parceiros e principalmente deve garantir um bom estímulo aos órgãos genitais tanto do homem como da mulher, e nessa, não dá para pensar só na vagina, mas no clitóris também.

Cavalgada

A mulher por cima do homem, pode fazer vários movimentos que permitem tanto uma penetração na medida e na direção que ela quiser, mas também ela pode garantir o estímulo do clitóris que bate na região do púbis de seu homem. Além disso, se quiserem aumentar o estímulo, podem alcançar facilmente o “botãozinho do prazer” com as próprias mãos ou pedir que o parceiro faça isso. Por isso as mulheres têm preferido cada vez mais essa posição.

No entanto, outras posições podem garantir bastante prazer, se tanto a mulher como o homem entenderem que devem dar atenção para determinadas partes de seus órgãos genitais. Além disso, as pessoas diferem no peso, na altura, na flexibilidade. Assim, o que pode ser bom, fácil e gostoso para um casal, pode não ser para outro.

Papai-mamãe

Na posição papai-mamãe, com o homem por cima, muitas mulheres relatam o orgasmo, justamente porque o púbis do homem ajuda no estímulo do clitóris no vai e vem da penetração. No entanto, algumas como a leitora que faz a pergunta, não conseguem. Há dois caminhos que vou sugerir, mas vocês podem encontrar outros. Durante a penetração a mulher estimula com sua mão o clitóris, essa é o primeiro caminho. O segundo é uma posição um pouco diferente da tradicional: a mulher fica deitada de barriga para cima, com as pernas esticadas e abertas apenas o suficiente para o homem, por cima, colocar suas pernas entre as dela. Ele então, deve alinhar seus quadris com os dela e então penetrá-la. O movimento de sobe e desce, e não de vai e vem, deve ser feito pelos dois ao mesmo tempo, encontrando o próprio ritmo. Isso permite que o pênis, além de estimular a vagina, e principalmente a parte frontal, onde fica o chamado Ponto G, também estimule o clitóris. Deste jeito, é bem provável que vocês dois se satisfaçam. Mas se ainda assim, não der certo, com certeza existem inúmeras outras que vocês podem tentar com sucesso! Experimentem!



Artigos relacionados - clique no título

>>> Orgasmo feminino: Dá para "chegar lá" mais rápido?

>>> Orgasmo feminino: Masturbação é uma forma importante de aprendizado

>>> Obtenção de orgasmo feminino está vinculado ao amor?

>>> Elas e o sexo: Gemidos, gritos e urros na hora da transa são realmente autênticos?



Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento

Colunas relacionadas:
SexoCyber Vida a DoisLuiz Alberto PyAmor
para ler as respostas anteriores
 
Sandra Vasques
é psicóloga especializada em sexualidade
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Sandra Vasques
para a página principal
o