Cyber Vida Sexual
Seção dedicada a responder e-mails relacionados à sexualidade

Minha mulher não gosta que eu faça sexo oral nela

por Marcelo Toniette

Pedi que ela me ensinasse como gostaria. Cada vez que tocamos no assunto, nossa noite simplesmente desmorona. Você tem alguma sugestão para que eu possa ensiná-la a gostar de sexo oral?

Buscar alternativas, negociar e refletir sobre a questão é o caminho para solucionar incompatibilidade de desejos na relação Resposta: O primeiro passo você deu em ter a iniciativa de expressar um desejo seu para a sua esposa. O que chama a atenção é o fato de que quando o assunto vem à tona a “noite simplesmente desmorona”.

É importante que dentro de uma relação se respeite o tempo e os valores de cada um. Talvez a idéia do sexo oral para a sua esposa seja algo totalmente distante daquilo que ela considere adequado no encontro sexual.

Por mais que essa modalidade de obtenção de prazer faça parte da vida sexual de muitos casais, existem alguns em que o sexo oral não é praticado, seja por valores morais, seja por repulsa, seja por falta de experiência, entre outros. Cada casal tem um jeito próprio de vivência afetiva e sexual que está em constante transformação, a partir da disponibilidade dos parceiros.

Eu entendo que você está investindo em mostrar à sua esposa as possibilidades de prazer que o sexo oral pode proporcionar. A pergunta que fica é se a forma adotada por vocês é a mais adequada. Veja, se esta idéia gera tantos contratempos, que tal começar pelo básico? Experimente perguntar a ela o que essa idéia desperta; sobre o que ela pensa sobre essa possibilidade; o que gera repulsa. Uma atitude mais compreensiva (e não impositiva!) pode ajudar para que vocês encontrem alternativas dentro da relação.

Assim, é preciso saber quais são as referências que ela tem para que, juntos, encontrem alternativas para prosseguir na experiência, ou deixá-la para outro momento, quando existe mais disponibilidade. O momento de cada um deve ser respeitado, caso contrário, aquilo que poderia ser muito prazeroso, acaba ganhando ares de cobrança, de pressão, o que arruína qualquer possibilidade de prazer no encontro a dois.

Lembre-se que qualquer descoberta, qualquer aprendizado, sempre acontece quando se respeita as referências, a disponibilidade e o ritmo de cada um. Nem todos os casais estão dispostos a fazer esta negociação dentro de uma relação. Geralmente um impõe ao outro aquilo que quer e ponto final. Isso distorce a idéia de parceria.

Parceria

Mas, o que vem a ser parceria? Parceria é um conjunto de qualidades entre as pessoas para que alcancem um ou mais objetivos em comum, sendo que as características, os anseios, os gostos, assim como impedimentos ou dificuldades, devem ser reconhecidos e respeitados enquanto tais. Nesse clima de parceria um pode contar com o outro para o alcance de uma situação melhor.

Em suma, é preciso checar se a sua esposa deseja, mesmo que seja aos poucos, experimentar que você faça sexo oral nela. Como você já tem ciência da reação negativa dela frente a essa possibilidade, a insistência somente funcionará para evitar a experiência. O importante é que vocês se posicionem frente a questão e negociem possibilidades de prazer entre vocês.

Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento


Colunas relacionadas:
SexoCyber Vida a DoisLuiz Alberto PyAmor
para ler as respostas
este artigo para um amigo
Marcelo Toniette
é psicólogo e psicoterapeuta sexual
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Marcelo Toniette
para a página principal