Sexo
Dicas para melhorar sua vida sexual
Sexo: Qual a melhor hora para ele e para ela?
por Arlete Gavranic


Eles podem ter mais vontade de fazer sexo pela manhã e elas ao anoitecer

Existe um dia, período ou horário melhor para o corpo sentir tesão? Em geral, as mulheres têm mais desejo sexual no anoitecer, mas isso não se relaciona diretamente a questões hormonais.

Talvez isso ocorra por esse horário facilitar o sonho, o aumento das fantasias, do devaneio e do romantismo, segundo Eliezer Berenstein, médico e autor de A inteligência hormonal da mulher.

Mas as mulheres que estão com seu ciclo hormonal regular costumam apresentar um aumento de desejo durante alguns períodos do mês. O maior pico de desejo sexual das mulheres costuma ocorrer no meio do ciclo (por volta do 14º dia, após o início do período menstrual, para aquelas mulheres que tem um ciclo de 28 dias), que é exatamente quando ocorre a ovulação. É nesse momento que a testosterona aumenta e intensifica o interesse sexual da mulher e o estrogênio aumenta, tornando-a atraente e receptiva ao sexo.

Biologicamente isso parece ocorrer para facilitar a gravidez, pois ocorre no período em que a mulher está mais fértil. Outro pico de desejo sexual das mulheres pode ocorrer no período pré-menstrual (imediatamente antes da menstruação).

Há mulheres que têm um aumento de desejo durante a menstruação, o que pode até ser reprimido por mulheres e homens que, movidos por questões educacionais, consideram o período menstrual como um tabu, por acreditarem erroneamente que o sangue menstrual seja sujo, ou ainda por questões culturais e religiosas que consideram a mulher impura nesse período. Há ainda mulheres que têm um aumento de desejo sexual no período pós-menopausa.

A hora em que os homens sentem mais tesão

Os níveis de testosterona são sempre mais altos pela manhã, por isso o homem tem mais tesão no período da manhã do que ao anoitecer, embora isso não signifique que é só nesse horário que os homens terão tesão ou responderão satisfatoriamente na atuação sexual.

Apesar da ocorrência desses picos de desejo sexual durante o mês para as mulheres e do pico de desejo matinal diário para os homens, isso não significa que é sempre nesse horário que os homens terão tesão ou responderão com um melhor desempenho sexual, ou ainda que só nesses períodos a mulher irá ter desejo e uma resposta sexual satisfatória.

Afinal, esses são os períodos de pico, mas o desejo continua tendo a possibilidade de se manifestar ou de ser estimulado. E para estimular o desejo sexual - o tesão - e, conciliar esses desejos, devemos considerar a possibilidade de alimentar fantasias eróticas, carícias, pensamentos de interesse sexual, e até de levar em conta a possibilidade de vivenciar e alimentar um interesse verdadeiro pelo companheiro (a), com atitudes desencadeadoras do desejo de estar junto de alguém buscando também o prazer sexual. Tudo isso pode ajudar a aumentar a iniciativa para atividades sexuais, independente do horário ou do dia, trazendo mais prazer a qualquer hora.

Como age o tesão no organismo

O tesão ou libido relacionado à vontade de fazer sexo e os motivos que levam a desenvolver um interesse pelo sexo, varia muito de uma pessoa para outra, tanto do ponto de vista bioquímico, através das ações hormonais como também varia dependendo do tipo de educação recebida com relação ao sexo: mais repressora ou mais liberal.

O tesão pode ser freqüentemente alterado em função da ingestão de álcool ou drogas, pode sofrer alteração pelo cansaço, por estresse, doenças, pela vivência emocional, pelas condições em que o relacionamento está sendo vivido e pode sofrer alteração até mesmo por diferenças de clima.

O tesão provoca grandes mudanças no corpo, não importa se o estimulo é uma cena de sexo de um filme, uma história de amor envolvente ou o fato de tocar aquela pessoa desejada. Esse tesão gera uma excitação que faz com que a pele fique ruborizada, corada, a temperatura do corpo sobe, a lubrificação vaginal ou a ereção começam a acontecer, a respiração e o batimento do coração ficam acelerados.

Tudo isso acontece não somente por motivos emocionais, mas por um turbilhão químico hormonal que foi mobilizado e passou a agir em seu corpo. Essa química natural promove um impulso sexual que pode ser mais ativo para aquele que vai em busca do sexo, da sua satisfação, ou pode ser um impulso sexual receptivo, ou seja, que está disponível, até desejando, mas sem ter a iniciativa de buscar a atividade e a satisfação sexual.

Mas como esses hormônios podem interferir no tesão?

Alguns dos hormônios que podem interferir na libido das pessoas podem ser:

Estrogênio: permite a mulher viver o desejo, sentir-se provocante, esse hormônio que dá ao corpo das mulheres as curvas, pele brilhante e deixa úmida a vagina

Endorfinas: dão a sensação agradável e nos protegem da dor e a ocitocina produzida pelo contato na pele traz a sensação de bem-estar

Testosterona: aumenta a busca pelo sexo tanto em homens como em mulheres, dá as mulheres mais agressividade na excitação e, durante o ato sexual, aumenta pensamentos e fantasias, a competitividade e a masturbação

Dopamina: nos mobiliza e faz desejar o prazer do sexo aumentando o impulso sexual em ambos os sexos e pode facilitar o orgasmo, embora nos homens possa provocar ejaculação precoce

Fenietilamina: estimula o nosso lado apaixonado e romântico

Progesterona: reduz a testosterona e portanto reduz muito a busca sexual, a mulher tende a ficar mais maternal, menos sensual e mais companheira

Prolactina: hormônio estimulado na gravidez e na amamentação, reduz o impulso sexual das mulheres. Homens que tenham níveis muito altos desse hormônio também podem perder o desejo e ter quadros de impotência. Essas informações podem ser aprofundadas na leitura de A alquimia do amor e do tesão, da dra. Theresa Crenshaw, ed. Record.

Artigos relacionados - clique no título


>>> Dez dicas para obter e ter prazer no sexo oral

>>> Sexóloga classifica pensamentos antieróticos em quatro categorias

>>> Orgasmo: o que impede a mulher de chegar lá?

>>> Mulheres reclamam da falta de 'pegada' dos homens


Colunas relacionadas:
Cyber Vida SexualCyber Vida a DoisAmorLuiz Alberto Py
para ler artigos anteriores
 
Arlete Gavranic
é Psicóloga, Mestre em Educação; Educadora e Terapeuta sexual
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Arlete Gavranic
para a página principal