Sexo
Dicas para melhorar sua vida sexual
Fazer sexo oral dá sensação de poder às mulheres, diz estudo
por Arlete Gavranic

"Nos resultados da pesquisa o sexo oral foi associado a ‘emoções positivas’. Macalad cita em seu estudo que cerca de 30% das mulheres acham que essa atividade lhes dá uma sensação de poder"

Recente estudo realizado na Universidade de Alberta (Canadá), dirigido pela cientista Brea Malacad, mostra que “a revolução sexual do século 21” aponta o sexo oral como uma atividade mais comum entre as mulheres jovens.

Embora o sexo oral não seja uma prática desejada por muitos, vem se tornando uma parte importante das relações sexuais.

Nos resultados da pesquisa de Macalad foi associado a ‘emoções positivas’. Isso sugere que as mulheres jovens vêm manifestando esse comportamento não só para agradar o parceiro, mas sim porque gostam. Macalad cita que em seu estudo cerca de 30% das mulheres acham que essa atividade lhes dá uma sensação de poder.

É interessante pensar que essas mulheres jovens, pelo menos 30% dessas, vêm aprendendo a ter prazer com a vivência da sexualidade e aprendendo a se sentirem poderosas. Embora esse número ainda não seja representativo da maioria das mulheres, já temos menos mulheres com o comportamento de se submeter a essa prática sexual só para agradar o parceiro sem desfrutar de prazer pessoal.

Agora vou dar umas dicas para você levar essa sensação de poder para o topo

Dicas para arrasar no sexo oral

- Sexo oral e dentes não combinam! Aprenda a usar os lábios e a língua, às vezes com mais suavidade e em outras com mais firmeza.

- Muito frequentemente homens sentem intenso prazer com a língua que passeia ao redor da glande (cabeça do pênis).

- A região do freio, (uma pele que ‘segura’ a pele ao corpo do pênis na parte dorsal, tem uma sensibilidade excelente e responde muito bem à sucção e aos movimentos de língua.

- Varie a temperatura. Chupar uma pedra de gelo ou uma bebida quente trazem sensações diferentes e estimulantes.

- Boca e garganta não têm a elasticidade de uma vagina! É ilusório para a maioria dos homens com pênis de médio para grande tentar colocar o pênis inteiro na boca da parceira. Cabe a mulher juntar o dedo indicador ao polegar para fazer carícias e movimento de sobe e desce. Nesse “gancho” regule a parte que você irá colocar na boca para sucção. É melhor regular esse espaço e fazer com satisfação ao invés de deixar ele forçar... Você pode se sentir sufocada ou enjoada e passar mal!

- Enquanto você faz sexo oral na glande, manuseie o pênis no movimento de sobe e desce e também alterne com carícias nos testículos, essas carícias surpreendem e trazem uma sensação de prazer e excitabilidade mais ampliada. Essa região dos testículos é muito sensível à sensação de lábios e língua sugando e lambendo. Mas lembre-se, cuidado para não usar os dentes e nem usar muita força para que o prazer não seja substituído por dor e desprazer.

- Alguns homens também gostam de receber carícias na região do períneo (região entre o ânus e a bolsa escrotal) e até mesmo no ânus anal enquanto recebem sexo oral. Use lubrificante à base de água para que o toque anal deslize e não seja desconfortável. Aliás, essa combinação costuma facilitar que muitos homens tenham um pico altíssimo de excitação e ejaculem.

Prevenção de DSTs

Um alerta importantíssimo que Macalad nos sinaliza é que essa mudança na maré do comportamento sexual’ venha também com uma prevenção de um aspecto detectado nesse estudo: muitos jovens ainda ignoram o fato de que doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) podem ser facilmente passadas via sexo oral.

Sexo oral deve ser feito sempre com preservativo. Existem vários tipos, sem lubrificante, coloridos, com sabor, com diferentes aromas... Essa proteção é indispensável para não correr o risco de contrair doenças. Se houver um ferimento na boca, gengiva ou afta, há um canal aberto para vírus e bactérias entrarem em contato com a corrente sanguínea e aí, HIV, HPV, Hepatite B e C, herpes, sífilis, e gonorreia entre outros podem ser contraídas no sexo oral.

Sexo oral: curiosidades

O sexo oral é uma prática onde ocorre a estimulação sexual através do contato direto da boca e da língua com as mais variadas partes do corpo, inclusive os genitais. Se o contato ocorrer entre a boca e o pênis é chamado de felação, entre a boca, vulva e vagina é chamado de cunilingus, e ainda, se o contato da boca for com o ânus, é chamado anulingus.

O sexo oral é uma prática sempre prazerosa e desejada de ser recebida pelos homens e que muitas mulheres durante muito tempo reclamavam ou se negavam a fazer por medo de parecer vulgar, por nojo ou questões morais.

O sexo oral para mulheres é sempre trazido como fonte de prazer e podemos afirmar que é enorme o número de mulheres que só atinge o orgasmo através dele. Embora menos frequente, também encontramos homens com nojo de fazer sexo oral.

Higiene e sexo oral

A higiene íntima deve ser realizada diariamente, ao menos uma vez por dia, com água e sabão, pode ser sabonete intimo. Não se deve usar cremes (a não ser por indicação médica), perfumes ou desodorantes nessa região do corpo.

No caso do pênis, deve-se abaixar a pele do prepúcio – pele que envolve a glande do pênis e lavar ao redor da glande (cabeça do pênis) onde costuma se acumular uma secreção chamada esmegma. Essa precisa ser retirada para evitar mau cheiro, infecções e desconforto na prática de sexo, inclusive o oral.

Higiene e menstruação

Higiene íntima no período menstrual deve ter uma frequência maior: duas a três vezes ao dia, pois o sangue menstrual em contato com o ar desenvolve um odor forte que a higienização elimina.

Deve-se lavar bem a região entre grandes e pequenos lábios e ao redor do clitóris. Deve ser evitado o uso de absorventes diários, principalmente os que contêm perfume, pois abafam a região e aumentam a possibilidades de infecções e corrimentos pelo ambiente quente e úmido.

Muitas pessoas cuidadosas com seu corpo e bem-estar de suas parcerias fazem essa higiene intima antes de um encontro sexual. Esse é um acordo que pode ser saudável e prazeroso para ambos.

Artigos relacionados - clique no título


>>> Dez dicas para obter e ter prazer no sexo oral

>>> Sexóloga classifica pensamentos antieróticos em quatro categorias

>>> Ele tem disfunção erétil, mas não se dispõe a conversar sobre o assunto. O que faço?

>>> Mulheres reclamam da falta de 'pegada' dos homens


Colunas relacionadas:
Cyber Vida SexualCyber Vida a DoisAmorLuiz Alberto Py
para ler artigos anteriores
 
Arlete Gavranic
é Psicóloga, Mestre em Educação; Educadora e Terapeuta sexual
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Arlete Gavranic
para a página principal