Sexo
Dicas para melhorar sua vida sexual
Saiba como apreciar o sexo na terceira idade
por Arlete Gavranic

 

"Atividade sexual permanece na terceira idade, havendo somente diminuição na sua frequência. Na terceira idade, além de satisfação física, o sexo reafirma a identidade de cada parceiro, o vínculo, a intimidade e a sensação de afeto"

Atividade sexual em qualquer idade é demonstração de um estado de boa saúde física e mental.

A função sexual – desejo, excitação e o prazer do orgasmo, continua por toda a vida. É um mito achar que a terceira idade seja assexuada, isso ocorria há duas ou três décadas atrás!

Aprender a se adaptar a algumas mudanças sexuais é principal fator para determinar prazer sexual Para algumas mulheres o climatério pode ser uma fase de problemas psicológicos. Não poder mais gerar filhos traz a algumas um sentimento de autodesvalorização.

Mas muitas mulheres vivem nesta fase uma nova liberdade; aprendem a gostar de si e de seu corpo, abertas a sensações e sem tanta cobrança.

Sintomas da menopausa

Após a menopausa, a mulher pode apresentar diminuição da libido, falta de orgasmo, diminuição da lubrificação da vagina e dor durante a relação sexual. Mas esses distúrbios são plenamente corrigidos com o uso de medicação apropriada através da reposição hormonal.

A maioria das mulheres pode ter acesso a esse recurso medicamentoso tanto na rede privada como pública, e muitos médicos vêm desmistificando o medo de se ter câncer devido ao uso dessas medicações. Todas as mulheres podem ter riscos aumentados se: fumarem, guardarem muita mágoa, rancor, exagerarem na exposição ao sol, ao consumo de gorduras trans, conservantes e tiverem uma vida sedentária.

Homem na teceira idade

O homem embora não tenha diminuição da fertilidade, experimenta nessa fase crises emocionais que se refletem no seu vigor sexual, ou crises por ter um vigor diminuído, a ereção não será mais a mesma, a excitação demora mais a chegar e o sexo é mais rápido.

O homem pode ter dificuldades de ereção devido a problemas circulatórios e à diminuição da sensibilidade na região do pênis, mas na grande maioria das vezes são os fatores emocionais que atrapalham a satisfação sexual.

A utilização excessiva de medicamentos (anti-hipertensivos, tranquilizantes, etc), bem como álcool e fumo podem diminuir a potência sexual.

Os aspectos psicológicos decorrentes de doenças também formam situações comumente geradoras de dificuldades sexuais. Por exemplo, a pessoa ao saber que tem câncer ou problemas cardíacos passa a ter dificuldades sexuais primeiramente devido a problemas emocionais.

Fatores emocionais

Envelhecer, sentir-se velho, ter medo de morrer, depressão, ansiedade e angústia são fatores que levam às dificuldades sexuais, pois geram baixa autoestima e infelicidade.

É importante que homens e mulheres percebam que a atividade sexual permanece na terceira idade, havendo somente uma diminuição na sua frequência. Na terceira idade, além da satisfação física, o sexo reafirma a identidade de cada parceiro, o vínculo, a intimidade e a sensação de afeto, demonstrando que cada pessoa pode ser valiosa para a outra.

Dicas para apreciar o sexo na terceira idade

- Aprendam a valorizar a possibilidade de estar com o parceiro;

- Reaprendam a namorar: saiam, dancem, andem de mãos dadas, conheçam novos lugares, revivam os antigos;

- Redescubram prazeres, usem preservativo sempre que estiver com novas parceiros;

- Experimentem o novo, o afeto, a alegria.

A campanha do Ministério da Saúde sobre sexo na terceira idade aconselha: experimentar a vida e aprender a se adaptar a algumas mudanças sexuais é o principal fator que determina o prazer sexual.

Artigos relacionados - clique no título


>>> Dez dicas para obter e ter prazer no sexo oral

>>> Sexóloga classifica pensamentos antieróticos em quatro categorias

>>> Orgasmo: o que impede a mulher de chegar lá?

>>> Mulheres reclamam da falta de 'pegada' dos homens


Colunas relacionadas:
Cyber Vida SexualCyber Vida a DoisAmorLuiz Alberto Py
para ler artigos anteriores
 
Arlete Gavranic
é Psicóloga, Mestre em Educação; Educadora e Terapeuta sexual
>> Mais informações >>
Clique aqui para falar com Arlete Gavranic
para a página principal