Vida Saudável
Dicas relacionadas à nutrição para a sua saúde

Dicas alimentares para portadores de refluxo gástrico
por Jocelem Salgado

Ir direto às dicas - clique aqui


A causa comum de refluxo gastroesofágico e esofagite é a ocorrência de hérnia hiatal. Em circunstâncias normais, o hiato é uma pequena abertura no diafragma, na junção do esôfago com o estômago. A hérnia de hiato desenvolve-se quando a abertura se alarga e permite que a parte superior do estômago se projete para cima.

Algumas hérnias de hiato são congênitas. A maioria, entretanto, se desenvolve ao longo da vida, à medida que a abertura do hiato vai se alargando, geralmente como resultado de gravidez, ganho excessivo de peso e situações em que o estômago sofre pressões geradas pelo diafragma suficientes para forçar o conteúdo gástrico ácido para cima, em direção ao esôfago. Além disso, excesso de tosse, vômitos, força ao evacuar ou súbito esforço físico também podem causar alargamento do hiato provocando a hérnia de hiato. Os pacientes experimentam mais desconfortos após as refeições pesadas e quando estão deitados ou curvados sobre si mesmos.

Incidência

Cerca de metade das pessoas com mais de 50 anos tem hérnia de hiato, mas a maioria não sabe disso, pois não apresenta sintomas ou problemas associados. A hérnia de hiato normalmente é diagnosticada após recorrentes crises de azia e má digestão, resultantes do refluxo de ácido do estômago para o esôfago e garganta. Mesmo quando os sintomas se desenvolvem, o problema não é considerado grave. Há todavia, exceções em que a freqüente exposição aos ácidos do estômago causa danos graves ao esôfago, inclusive úlcera, sangramento e até obstrução ou ruptura. Nesses casos, é necessário a intervenção cirúrgica. Geralmente, no entanto, tudo o que se precisa são cuidados que a própria pessoa pode tomar, como perda de peso para aliviar a pressão sobre o estômago e não usar cintos, cintas, ou roupas que apertem.

Dieta

A dieta tem um papel fundamental no tratamento da hérnia de hiato. Independentemente se a pessoa faz ou não tratamento medicamentoso, a mudança de hábitos alimentares é importante para o sucesso do tratamento. Um ganho excessivo de peso, o consumo de alimentos gordurosos como embutidos, carnes gordas... ; o consumo de alimentos ácidos que irritam a mucosa do estômago como picles, suco de tomate, frutas cítricas... e o consumo de alimentos ricos em cafeína como chocolates, café, entre outros, podem agravar o problema.

Com relação ao peso excessivo, sabe-se que aumenta a pressão intra-abdominal e faz piorar o refluxo. Uma redução das gorduras e da ingestão total de calorias pode reduzir os sintomas, bem como a perda de peso gradual para aqueles que estiverem acima do peso. É desejável uma perda de peso de 0,5 quilo por semana ou de 1 quilo por mês. Exercícios regulares também são importantes para manter o peso corporal ideal.

Os alimentos ricos em gorduras comumente fazem piorar o refluxo e representam um problema particular quando comidos rapidamente e juntamente com bebidas carbonatadas de cola, álcool ou café. As comidas gordurosas ficam mais tempo no estômago que as outras e também podem causar indigestão. As recomendações para a ingestão diária de gorduras variam: uma diretriz é de 45 g para homens e de 30g para mulheres. Para se ter uma idéia, um hambúrguer típico com um pacote grande de batatas fritas fornece 60g de gordura.

É importante também que o portador de hérnia de hiato evite bebidas gasosas, que podem aumentar o desconforto. Depois de comer, é aconselhável não se deitar ou abaixar durante pelo menos uma hora, pois isso pode provocar refluxo. Recomenda-se também que se evite substâncias que relaxam o diafragma, como o álcool.

Alimentos que irritam o estômago ou provocam indigestão devem ser eliminados. Dentre os mais prejudiciais estão as especiarias, as frutas cítricas, o suco de tomate, o picles e o vinagre. O café e o cigarro aumentam a acidez estomacal. O chocolate e a hortelã tendem a relaxar o esfincter do hiato.

Aliados

Alimentos ricos em fibras, como cereais e pães integrais, vegetais e frutas frescas podem ser grandes aliados dos portadores de hérnia hiatal. Esses alimentos ajudam no bom funcionamento do intestino e impedem a prisão de ventre, um problema que agrava a hérnia por causa da dilatação do abdômen. Por esse mesmo motivo, exercícios físicos diários e uma adequada ingestão de líquidos também são importantes no tratamento da doença.

Uma recomendação importante é evitar grandes refeições que provocam dilatação exageradas do estômago. Ao invés disso, sugere-se 4 ou 5 pequenas refeições ao longo do dia. A pessoa não deve comer ou beber nada por pelo menos duas horas antes de ir para cama, já que à noite as crises são mais comuns.

Dicas alimentares para portadores de refluxo

1º) Reduzir o peso se estiver acima de seu peso.

2º) Manter um diário dos alimentos e das bebidas que pareçam causar seus sintomas.

3º) Observar o papel e os comportamentos alimentares, como comer "correndo", refeições grandes, excesso de álcool e cafeína.

4º) Ficar num equilíbrio de três refeições e dois lanches por dia. Basear cada refeição em alimentos pobres em gordura, ricos em fibras e em carboidratos, como cereais, pão, massas ou arroz.

5º) Evitar "repetir" ao jantar e evitar comer menos de 2 horas antes de ir dormir.

6º)Fazer escolhas sensatas ao comer fora - menos gordura e limitar o número de pratos (tente uma entrada e uma salada ou apenas um prato principal e salada)

Este cardápio contém 35g-40g de gordura e 30g de fibras

- Café da manhã - uma tigela de cereais ricos em fibras, como musli, ou mingau com frutas frescas, ou leite desnatado e torrada integral com um mínimo de margarina e mel.
- Almoço - frango e verduras com um mínimo de óleo, servidos com arroz no vapor. Água gelada com limão ou suco de lima.
- Lanches - frutas frescas, iogurte ligth, crackers pobres em gordura, como biscoito de arroz, aveia, polvilho. Água, chá ou suco diluído. Evitar lanches ricos em gorduras, como salgadinhos do tipo batatas fritas, salgadinhos de milho e queijos e biscoitos doces.
- Jantar - sanduíches feitos de pão integral com queijos pobres em gordura, carnes magras, peixe e salada. Não usar margarina ou maionese. Frutas frescas com iogurte pobre em gorduras. Água, chá ou suco diluído.

Finalizando, concluímos que a moral da história todos já sabemos: substituindo hábitos errados por hábitos alimentares corretos, disciplinando os horários das refeições e usando o bom senso na escolha dos alimentos com certeza passamos a ter uma qualidade de vida melhor, com ânimo para trabalhar, estudar, divertir, passear, enfim , desfrutar o que a vida oferece de bom com alegria.

Mais informações: www.jocelemsalgado.com.br

Colunas relacionadas:
Medicina Complementar Cyber Drogas Psicologia do Esporte Cérebro e Corpo
para ler artigos anteriores
este artigo para um amigo
Jocelem Salgado
Profª. Titular em Nutrição LAN/ESALQ/USP/Campus, Piracicaba
>> Mais informações >>
Clique aqui
e compre o livro
"Alimentos Inteligentes" de
Jocelem Salgado
Clique aqui para falar com Jocelem Salgado
para a página principal