A SINA DO AVENTUREIRO
  






Produzido em 1957-1958. Lançado em 19 de dezembro de 1958 (Santo André/ SP); 19 de agosto de 1959 (São Paulo/ SP). Preto e Branco. 88min.

Produtor
Augusto Pereira (de Cervantes), e Nilza de Lima (Indústria Cinematográfica Apolo) Diretor José Mojica Marins Diretor de Produção Fernando Rodrigues e Walter Preusse Argumento e Roteiro José Mojica Marins Roteiristas não-creditados Luis Sérgio Person e Glauco Mirko Laurelli Diretor de Fotografia Honório Marin Assistente de Câmera Corintho Giaccheri Música João da Silva Montagem Luiz Elias Diretor de Arte Graveto Distribuição em Vídeo S.A.M. Rádio Pictures Elenco Acácio de Lima, Shirley Alves, Augusto de Cervantes, Ruth Ferreira, Amids Martinez, Tônia Eletra, Enibalú, Alaert Leão, Graveto e José Mojica Marins.

Após ser baleado fugindo de um tiroteio, o bandido Jaime cai à margem de um rio, onde é socorrido por duas belas jovens. Ele envolve-se romanticamente com Dorinha, filha de um fazendeiro e, por amor a ela, entrega-se à polícia. Ao sair da prisão, Jaime tem que enfrentar Xavier, um bandido sanguinário que planeja vingar-se do pai de Dorinha. Estreando no cinema profissional, Mojica realiza o primeiro autêntico faroeste brasileiro, aparecendo numa ponta como Gregório, um jagunço do bando de Xavier. Ele também escreveu as letras das dez canções da trilha sonora. Em 1964, o filme foi relançado com uma dose extra de sexo, incluindo uma nova sequência com cerca de dez minutos passada no bordel, na qual Mojica interpreta um velhinho.