Fábio Caramuru relê Jobim ao piano
Entre o erudito e o popular, pianista conversa com a obra do maestro

por Beto Feitosa

A celebração dos 80 anos de Tom Jobim rendem os mais variados tributos, comprovando a versatilidade e a qualidade da obra do maestro. O pianista Fábio Caramuru beira o erudito quando interpreta a obra de Tom em seu piano.

O álbum duplo Piano - Tom Jobim por Fábio Caramuru ganhou edição de luxo no lançamento da gravadora MCD, e soma 28 canções do compositor. Entre elas sucessos como Meditação, Wave, Chega de saudade e Garota de Ipanema.

Mas também há espaço para algumas músicas menos badaladas como Flor do mato e Esperança perdida. Algumas músicas estão apresentadas com seus títulos originais, diferente dos conhecidos. Assim Amparo é a versão instrumental de Olha Maria. A música, originalmente composta para a trilha sonora do filme Os aventureiros, foi rebatizada depois que ganhou letra de Vinicius de Moraes e Chico Buarque.

O primeiro disco do box já é conhecido. Lançado originalmente por Fábio em 1997 com o título Tom Jobim piano solo, volta a catálogo dez anos depois acrescido de outro CD, dessa vez gravado com inserções do contrabaixo de Pedro Baldanza em algumas faixas.

Nos dez anos que separar um lançamento de outro Fábio mudou sua relação com a ausência de Tom Jobim. "O primeiro remete a um período em que me encontrava sob uma forte sensação de ausência com relação ao maestro, que havia nos deixado recentemente. Na ocasião o que me movia era a vontade de prestar-lhe uma reverência pessoal, contida e respeitosa", lembra o pianista. "Na realização do segundo CD, em 2006, a melancolia e a saudade deram lugar a uma sensação alentadora de reencontro. Durante o processo de elaboração musical senti como se Jobim estivesse presente, dialogando e guiando minha alma; assim pude combinar mais livremente minha poética pianística com sua música", revela.

A relação com o maestro fica clara em primorosos arranjos como o de Espelho das águas. A bem vinda inclusão de Two kites faz Fábio tocar como se estivesse sentado com Tom ao piano, com um arranjo que lembra muito a versão do maestro.

Pianista, arranjador e compositor, Fábio Caramuru é mestre pela USP, onde escreveu sua tese a respeito do piano de Jobim. Entre a teoria acadêmica e a prática artística, o músico realça belíssimas melodias no tom de Jobim e presta sua homenagem marcando o diálogo sem fronteiras entre o erudito e o popular.

  • Veja aqui trailler do DVD Maestro soberano


  • matéria anterior:
  • Osvaldinho da Cuíca celebra o samba paulista
    ÚLTIMOS LANÇAMENTOS