Alzira e Arruda. Início de uma nova parceria
Música e poesia se encontram no primeiro trabalho da dupla

por Beto Feitosa

Alzira E. Alzira Espíndola; Alzira e Arruda. Alzira Espíndola, cantora e compositora. Arruda, poeta e blogueiro. Parceiros. Alzira faz as músicas em cima de poemas de Arruda. E a criatividade da dupla aparece em abundância. Uma primeira seleção dessa nova dobradinha está no novo CD de Alzira, lançado pela Duncan Discos.

De perto ninguém é normal. Alzira não é uma artista convencional, dessas que batem ponto em estúdio. Sua criatividade está à frente levando a música adiante. Seja cantando clássicos sertanejos ao lado da irmã Tetê Espíndola, seja na dobradinha com a poeta Alice Ruiz, seja na colaboração ativa e participativa na obra de Itamar Assumpção. Seja, agora, na parceria estreada com Arruda.

O encontro litero-musical aconteceu há apenas dois anos, quando participaram de uma oficina de haicai ministrada por Alice Ruiz. Ponte feita para os encontros que jorram parcerias. Que, mesmo antes de estrear em disco, já chegou a shows e no novo DVD de Zélia Duncan. Que logo aparece no próximo disco de Maria Alcina. Que, também em breve futuro, estará em três músicas do novo trabalho de Jerry Espíndola, mais um membro da família musical do Mato Grosso do Sul.

Os encontros de Alzira e Arruda são férteis. Um verdadeiro "jorro musical" na definição de Alzira. "Dez anos atrás eu batalhava pra fazer uma música, tudo era fruto de dificuldade. Fazia seis canções por ano e me dava por satisfeita", lembra Alzira. "Mas agora descobri qual é a minha lógica e estou fazendo uma exploração do que acabou se estabelecendo como minha música", revela. E essa música tem caminhos próprios e especiais. Extremamente pessoal.

As treze parcerias da dupla selecionados para o novo CD de Alzira fazem parte do primeiro lote de trinta composições da dupla. Traz delícias que já vinham sendo apresentadas nos shows de Alzira como Kitnet, Ouvindo Lou Reed e Agora yes. Cheio de jogos de palavras, Arruda se revela um hábil manipulador da língua portuguesa. "Tecnocólera / Literalmente / É uma coleira / Que a gente põe na gente". Tudo com sinais de nascença, DNA da dobradinha.

E assim se dá essa parceria. Uma letra instigante, com marca própria aliada a uma música inteligente com impressão digital. As duas artes se encontram. Os dois artistas se unem e a criação acontece. Simbiose. Sintonia. Alzira e Arruda. O primeiro CD está aí, aberto a interpretações, servido de bandeja para ouvidos que buscam o criativo.


matéria anterior:
  • Sueli Costa apresenta nova produção
    ÚLTIMOS LANÇAMENTOS