Zé Renato inventa a bossa papo-firme
Cantor relê repertório da Jovem Guarda com roupagem bossa nova

Na festa de arromba entra um banquinho e um violão. Assim é o álbum É tempo de amar, que Zé Renato lança pelo selo MP,B com distribuição da Universal. O cantor selecionou algumas músicas menos badaladas da época da Jovem Guarda e as vestiu com jeitinho elegante da bossa. Como se a turma da Tijuca visitasse a Praia de Ipanema.

Zé Renato desliga as guitarras das jovens tardes de domingo e pega o violão que estava no cantinho. Em suas mãos, o repertório realça melodias bonitas e boas letras românticas. A voz doce e afinadíssima dá o tom exato desse clima, sofisticado em sua simplicidade. O cantor veste com harmonias ricas músicas que sempre foram menosprezadas pela patrulha intelectual.

O ponto de partida desse projeto foi a releitura para O tempo vai apagar, gravada para a trilha sonora da novela A Favorita. Conceito definido, Zé Renato se aventurou pelo repertório da Jovem Guarda, sem se preocupar com os grandes sucessos. O disco até traz clássicos como Lobo mau e Coração de papel, mas a maior parte é de músicas conhecidas, porém menos badaladas.

O momento em que Zé Renato mais se aproxima do rock é em Não há dinheiro que pague, em boa releitura que remete ao clima dos projetos acústicos da MTV. De resto imperam meigas baladas valorizadas pela interpretação do cantor como É tempo de amar, recriação da música que fez parte da trilha sonora do filme Roberto Carlos em ritmo de aventura.

De turma radicalmente oposta aos roqueiros da TV, até mesmo Marcos Valle entra no clima. Ícone da bossa balançada, o compositor põe seu piano Rhodes em Não há dinheiro que pague e em Ninguém vai tirar você de mim. Já a camaleônica e irreverente Nina Becker entra doce em Eu não sabia que você existia, recriando com Zé Renato o dueto de Leno e Lilian. A música ganha nobreza no cello de Jaques Morelenbaum.

Passam pelo disco composições de Luiz Ayrão, Renato Barros e Sérgio Reis. Curiosa, porém, é a presença de Vinicius de Moraes. O poeta da bossa nova assina ao lado de Francisco Enoé o meigo iê-iê-iê Por você, composta para a trilha do filme Garota de Ipanema e gravada por Ronnie Von pouco antes de mergulhar em sua ótima fase psicodélica.

De maneira respeitosa, até reverente, Zé Renato passa a Jovem Guarda em seu filtro musical. De ouvidos abertos, o cantor encontrou caminhos sofisticados que valorizam músicas que sempre foram reservadas a um segundo escalão. Desde sua concepção, É tempo de amar é um grande achado. Um disco de releituras autorais em que Zé Renato viaja até a adolescência quando, aos 14 anos, aprendeu a tocar em seu primeiro violão o hit Namoradinha de um amigo meu. Essa bossa é uma brasa, mora!

+ conteúdo relacionado
    entrevista
comente aqui    comente aqui
BUSCA    BUSCA: Zé Renato
clique aqui para comprar o CD    Compre o CD


matéria anterior:
  • Pedro Moraes faz misturas criativas
    ÚLTIMOS LANÇAMENTOS