O baú de Alcione
Compilação reúne gravações raras e inéditas

Pérolas raras e inéditas de Alcione são reveladas no valiosíssimo CD O samba raro de Alcione - Sabiá marrom. Produção pilotada por Rodrigo Faour e lançada pela Universal Music, o disco revira o baú da gravadora e revela sobras de estúdio, participações e faixas lançadas apenas em compactos ou álbuns coletivos.

A compilação traz músicas gravadas entre 1972 e 1981. Os três primeiros anos flagram uma cantora ainda sem rótulos. Alcione vinha diplomada pela variada escola da noite. Roberto Menescal, então diretor artístico da gravadora Philips/Phonogram, já enxergava em Alcione a grande sambista. Mas a cantora, acostumada a fluir bem em vários estilos, pode surpreender até mesmo cantando Planos de papel, bossa de Raul Seixas para a trilha sonora da novela O Rebu, de 1974. Que casa bem com o samba-canção Linda flor (Ai, Ioiô), do LP Máximo de sucessos nº 11, do mesmo ano.

De seu primeiro compacto, editado em 1972 para testar a nova artista, aparecem O sonho acabou, composição de Gilberto Gil lançada naquele mesmo, e Liga de guiné, parceria de Reginaldo Bessa com o então também estreante Nei Lopes. De outro compacto, três anos mais tarde, Alcione aparece já mais próxima do universo que a consagrou cantando Os melhores sambas enredo de 1975 com músicas defendidas naquele ano por escolas como Salgueiro, Mangueira, Padre Miguel e São Carlos. Um terceiro compacto, lançado no mercado latino em 1980, traz versões em espanhol para O surdo e o grande sucesso Sufoco.

O CD tem três gravações inéditas. Homenagem do compositor francês Paul Mauriat para a cantora, Sabiá marrom ganhou letra em português de Totonho e Paulinho Rezende. Foi gravada por Alcione em 1979, mas acabou não entrando no LP daquele ano e aqui abre o CD. Também inéditas são Pôr do sol (1980) e a impagável Não suje o meu caixão (1975).

No final do álbum aparecem duetos de Alcione. O delicioso encontro com João Nogueira em 1981 traz o sucesso de Noel Rosa De babado, com direito a divertido caco da dupla na letra. Três anos antes Alcione dividia com Chico Buarque O casamento dos pequenos burgueses, tema da Ópera do Malandro. Em 1980 foi a vez de cantar com Leci Brandão em Fim de festa, parceria de Leci com Rosinha de Valença.

Além de trazer ao público gravações inéditas e esquecidas, o encarte traz minuciosa pesquisa de Faour, com texto explicativo, referências e até mesmo capas e selos dos discos em que foram lançadas as músicas. Revelando a pré historia e os primeiros anos de sucesso da sambista, o CD valoriza Alcione como grande cantora. Não só de sambas - como é normalmente lembrada de forma reduzida - mas do que quiser e bem entender.

+ conteúdo relacionado
ouça  o CD na Rádio UOL    ouça o CD na Rádio UOL
comente aqui    comente aqui
BUSCA    BUSCA: Alcione

Compartilhe: envie link pelo Twitter envie link pelo MySpace envie link pelo Facebook envie link por e-mail

matéria anterior:
  • Marcos Ozzellin mostra samba alegre
  • ÚLTIMOS LANÇAMENTOS