Ná Ozzetti enche seu quintal de música
Novo CD da cantora tem clima bucólico, amigos e composições próprias

Comemorando - arredondados - 30 anos de carreira Na Ozzetti olha pela janela, não atrás de retrospectivas, mas para narrar seu momento atual. Vivendo em um sítio nas imediações de São Paulo, a cantora preparou um disco de temas bucólicos e inspiração caseira. Entre amigos/parceiros o clima do cotidiano da cantora ganhou o espaço da arte no CD Meu quintal, lançado pela gravadora Borandá.

Na verdade tudo junto, vida e música, como sempre foi na história de Ná desde os tempos de faculdade de artes plásticas na USP. Foi quando ela chamou atenção, pela primeira vez, na poesia urbana e canto falado do Grupo Rumo. Depois seguiu caminhos solo entre a vanguarda e a tradição revisitada. Sua voz - aguda, linda e perfeitamente afinada - se encaixa bem em diversas frentes. A inteligência de sua interpretação a coloca no rol das melhores entre as melhores cantoras da história brasileira. Assim é Ná Ozzetti, sem nunca ter se vendido ao mercado do descartável, mas criando seu caminho com delicadeza e opções corretas. Hoje o canto é seu quintal.

Em álbum quase totalmente autoral Ná Ozzetti recebe no aconchego de canções parceiros como Luiz Tatit, Alice Ruiz, Arthur Nestrovski, Makely Ka, Carol Ribeiro, Neco Pratres e Zélia Duncan. Intimidade é fato, e essa idéia se estende a concepção musical. Produzido por Mário Manga e com arranjos divididos entre ele e Dante Ozzetti, Meu quintal é um disco de banda, de concepção simples para combinar com a cor local.

Ao lado de Arthur Nestrovski ela assina Tupi, homenagem ao cão. Com a poeta Carol Ribeiro sente o clima de Chuva: "Chuva que regou / O meu jardim / Floriu". O álbum abre com a faixa-título, parceria de Ná com Luiz Tatit descrevendo a paisagem interna e externa: "Tem coqueiro / Que dá côco / Cancioneiro / Que dá canto / Pra quem quiser cantar". Parceiro mais constante na carreira da cantora, Tatit ainda volta em Equilíbrio, Língua afiada e Entre o amor e o mar que fecha o disco. Com Dante Ozzetti, Tatit também assina a ótima A velha fiando, única faixa que não tem assinatura de Ná.

Novos parceiros também chegam pela porta da frente. Sempre apaixonada pela vanguarda paulistana e fã de Ná & Rumo, Zélia Duncan divide a autoria de Sobrenatural, que já estava no repertório dos shows e garantiu seu lugar no quintal de Ná. Com a poeta curitibana Alice Ruiz a cantora assina Ser estar, Baú de guardados e Acordo de amor, essa ainda com adesão de Neco Prates. A parceria foi apadrinhada por Itamar Assumpção, a amizade próxima já conta alguns anos mas a música só aconteceu de fato agora. Quem também chega é o compositor mineiro Makely Ka olhando Onde a vista alcança.

A comemoração da grande cantora é simples e caseira. Sem precisar inventar para se destacar, Na Ozzetti já é original na essência. Meu quintal junta paisagens, amigos e aconchego. Como anfitriã da música, Ná Ozzetti junta sua receita particular com cheiro de mato e astral de um dia bonito entre amigos.

Compartilhe: envie link pelo Twitter envie link pelo MySpace envie link pelo Facebook envie link por e-mail

 
+ conteúdo relacionado
comente aqui    comente aqui
BUSCA    BUSCA: Ná Ozzetti

Meu quintal - show de lançamento do CD
Data: 13 e 14 de abril – terça - 21h
Sesc Vila Mariana
Rua Pelotas, 141 - Vila Mariana - São Paulo
Informações: (11) 5080.3000

Assista vídeo de apresentação:

matéria anterior:
  • Box conta história da música brasileira
  • ÚLTIMOS LANÇAMENTOS