Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Esquilo voador apresenta cor rosa quando observado com luz ultravioleta

Cor poderia se destinar a comunicação ou a acasalamento

Kohler et al.
Fotografias de um esquilo voador, tiradas sob luz visível e sob luz ultravioleta

O esquilo voador norte-americano ganha um brilho cor-de-rosa à noite quando colocado sob luz ultravioleta, mas os pesquisadores ainda ignoram que tipo de função essa cor pode desempenhar.

Allison Kohler, uma estudante de pós-graduação do departamento de vida selvagem e pesca da Texas A & M University, em College Station, ajudou a fazer essa descoberta, e afirmou que outros esquilos voadores também apresentam a cor rosa fluorescente.

Jon Martin, professor associado de silvicultura no Northland College, em Wisconsin, e que foi professor de Kohler na graduação, estava fazendo uma pesquisa florestal exploratória com uma lanterna ultravioleta em seu quintal. Inicialmente, ele estava procurando diferentes líquens, musgos e plantas para ver quais apresentavam fluorescência. Por acaso, um esquilo voador estava em seu alimentador de pássaros. Quando o observou sob a luz ultravioleta, o animal apresentava um rosa vibrante.

Uma equipe foi formada para investigar essa descoberta e incluiu Martin, Kohler e dois colegas de Martin no Northland College: Paula Anich, professora associada de recursos naturais, e Erik Olson, professor assistente de recursos naturais.

Com acesso a uma coleção museológica do Museu de Ciências de Minnesota, Martin pediu a Kohler que assumisse a liderança do projeto e desenvolvesse um protocolo para ajudar a investigar mais exatamente o que eles tinham descoberto.

"Examinei uma tonelada de espécimes diferentes que eles tinham lá", disse Kohler. "Eram esquilos voadores empalhados que foram coletados ao longo do tempo, e cada um que vi fluorescia rosa quente em alguma intensidade ou outra."

A fim de expandir a busca, a equipe foi ao Museu Field de História Natural, em Chicago, e reuniu mais espécimes. Ao todo, eles pesquisaram mais de 100 espécimes, abrangendo vários estados, todos confirmando sua "teoria rosa". Eles também analisaram cinco espécimes vivos adicionais.

"Testamos todas as três espécies de esquilos voadores da América do Norte: o esquilo voador do norte, o esquilo voador do sul e o esquilo voador de Humboldt, e os três eram fluorescentes", disse ela.

Depois de comparar as espécies voadoras a outros esquilos, como o esquilo-vermelho americano e o esquilo-cinzento, a equipe descobriu que só o animal voador apresentou a cor rosa.

As razões para que os esquilos brilhem na tonalidade rosa ainda estão sendo investigadas, mas a comunicação e a camuflagem são duas das principais possibilidades, acredita a equipe.

"Talvez estejam se comunicando com outros membros de sua própria espécie, ao apresentarem sua fluorescência um para o outro, ou pode ser uma espécie de exibição destinada ao acasalamento", disse Kohler. "A outra hipótese é que eles poderiam estar usando esta fluorescência como um traço anti-predador para se comunicar com outras espécies, evitando a predação por outras espécies, misturando-se ou lidando com seus ambientes potencialmente saturados de ultravioleta."

Conforme a pesquisa se desenvolve, ela disse, a importância desta descoberta se apresentará mais claramente. Kohler planeja continuar sua pesquisa enquanto cursa o mestrado na Texas A & M. Mais pesquisas irão analisar com firmeza as implicações da descoberta da equipe.

"Isso poderia ajudar potencialmente na conservação dessa espécies ou outras espécies, e também poderia ajudar na gestão da vida selvagem", disse Kohler. "Quanto mais sabemos sobre a espécie, mais podemos entendê-la e ajudá-la. Isso está abrindo uma nova porta para o reino da comunicação noturno-crepuscular entre os animais".

COMUNICAÇÃO TEXAS A & M AGRILIFE

Para assinar a revista Scientific American Brasil e ter acesso a mais conteúdo, visite: http://bit.ly/1N7apWq