Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Gralhas em cativeiro constroem “ferramentas”

Quando criadas em viveiros, as gralhas, como os corvos, desenvolvem técnicas para obter alimentos. Curiosamente esse comportamento não é observado na Natureza

Katherine Harmon
Cortesia de Chris Bird/University of Cambridge
Gralha utiliza gancho para extrair alimento do tubo
Corvos são conhecidos por terem inteligência superior à dos outros pássaros. Corvos da Nova Caledônia já foram observados usando ferramentas nas suas tarefas diárias. Parentes próximos do corvo ─ como as gralhas ─, no entanto, aparentemente não apresentam essa tendência de utilizar ferramentas em seus habitats naturais. Pesquisadores das universidades britânicas de Cambridge e Queen Mary, porém, mostraram que em viveiros de laboratório, gralhas domesticadas começam rapidamente a utilizar ferramentas para superar alguns desafios.

Essas descobertas, publicadas em fins de maio no Proceedings of the National Academy of Sciences, apontam para a noção de que, quando a comida é abundante, esses pássaros podem viver muito bem sem ferramentas. Em casos de privação controlada, no entanto, eles foram perfeitamente capazes de começar a usar ─ e até criar ─ ferramentas.

“O comportamento dessas aves pode ser comparado com o de animais que normalmente utilizam ferramentas, como os chimpanzés, quando são avaliadas em cativeiro," observa Chris Bird, principal autor do estudo. Os chimpanzés são conhecidos por utilizar galhos modificados para capturar cupins ─ e até apunhalar pequenos primatas conhecidos como galagos (parentes dos lêmures) ─ para lhes servir de almoço.

As gralhas começaram a usar pedras ─ deixadas propositalmente no viveiro ─ que derrubavam sobre uma tampa de madeira, para girá-la na extremidade de um tubo, e liberar um verme apetitoso. Ao serem colocadas em uma gaiola de testes, onde não havia pedras, cada um dos pássaros foi buscar uma pedra em um corredor conectado externamente, para seu próprio uso. Quando receberam um graveto, substituíram a pedra pelo graveto, passando a usá-lo para o mesmo fim. Ao perceber que o graveto era muito leve para acionar a tampa do tubo com seu peso, as aves o utilizavam para empurrar um dos lados da tampa e girá-la para liberar o alimento.
As gralhas também utilizavam metaferramentas, isto é, aproveitavam uma ferramenta para poder usar outra ─ nesse caso, uma pedra grande demais para caber no tubo poderia ser usada para alcançar tanto outra pedra grande quanto uma pequena. Todos os pássaros usaram uma pedra grande para conseguir uma menor na primeira tentativa.

Embora os pássaros não tenham sido observados usando brocas ou tornos, eles modificaram e criaram ferramentas para conseguir alimento. Ao receber um graveto com ramos laterais que impediam sua entrada no tubo, os pássaros desbastaram os galhos que estavam atrapalhando, para poder inserir o graveto no tubo sem problemas.

Eles também foram capazes de utilizar ganchos de arame para levantar uma tigela com comida apoiada em um tubo liso e até de construir um gancho a partir de um arame reto ─ um talento que só havia sido observado em um corvo da Nova Caledônia.

Outras espécies conhecidas por utilizar ferramentas incluem chimpanzés, orangotangos, micos, lontras marinhas, abutres do Egito, garças, pintassilgos, pica-paus e, claro, seres humanos.